Advogado esclarece situação do Baraúnas e diz que intervenção é inevitável

José Carlos de Brito

Sem comando, depois do fim do mandato de Josirene Ribeiro e da não realização da eleição para uma nova diretoria, o Baraúnas segue rumo à mais uma interdição judicial, a segunda em três anos.

A revelação veio na noite desta quarta-feira (9), durante entrevista ao programa 95 Esportes, da 95 FM (Mossoró), pelo advogado José Carlos de Brito, ex-diretor e presidente da comissão eleitoral do clube, recém dissolvida.

Zé Carlos confirmou que o clube está acéfalo (sem comando), depois que o mandato de Josirene Ribeiro expirou no dia 29 passado e quando a eleição para a nova diretoria marcada para o dia seguinte (3o), deixou de ser feita devido a conflitos durante o evento entre pessoas ligadas ao clube.

Em contato com o cartório responsável pelo registro da eleição, Zé Carlos ouviu que a saída seria alguém provocar a justiça para que esta interviesse no clube e nomeasse um administrador temporário que, por sua vez, definiria a nova eleição. Até lá, ninguém responde oficialmente pelo Baraúnas.

Zé Carlos revelou que o quadro de sócios adimplentes, um dos motivos da confusão registrada no dia 30 passado, não poderá ser alterado para uma eventual nova eleição, devendo seguir com os mesmos 27 membros aptos a votar e serem votados. É que estando sem diretoria, não há como o clube admitir novos sócios nem receber pagamento de quem porventura esteja inadimplente. Ele disse ainda que o gestor temporário a ser nomeado pela justiça não terá autonomia para proceder nessas questões, vez que suas atribuições se limitam a marcar e conduzir novas eleições nas mesmas regras e condições existentes quando da data em que haveria o pleito passado.

Finalizando, baseado no tempo em que o processo de intervenção até uma nova eleição podem consumir, Zé Carlos deixou pouca margem para que o torcedor fique otimista quanto à participação do clube na segunda divisão deste ano, como muitos queriam.

“Esse processo de definição de uma nova diretoria poderá ser rápido, ou não, dependendo do andamento na justiça. Pode ser que até julho esteja tudo resolvido, mas pode ser que o processo acabe em setembro ou mais adiante”, finalizou.

De acordo com o diretor da Federação, Costinha, a reunião do Conselho Técnico da FNF para definir a segunda divisão está prevista para acontecer entre o final de maio e início de junho, com início da competição entre setembro e outubro.

SEGUNDA INTERDIÇÃO EM TRÊS ANOS

Caso se concretize, esta será a segunda vez em sua história em que o Baraúnas sofrerá uma intervenção judicial.

A primeira aconteceu em 2015, a pedido do ex-presidente João Dehon da Rocha, hoje mandatário do Mossoró Esporte Clube.

Na época, o clube vinha descumprido seguidamente trâmites legais quanto a registros cartoriais de suas eleições, datando a última movimentação oficial de 2007, quando da última passagem de Dehon à frente do clube.

Também à época, o juiz José Herval Sampaio Junior, então titular da 2.ª Vara Cível de Mossoró, nomeou o próprio José Carlos de Brito como administrador provisório para responder pelo clube, sobretudo pela eleição que viria a ser realizada em seguida.

Fábio Oliveira/F9.net.br

ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 + 4 =