É vencer e continuar lutando, ou encerrar a temporada

O Potiguar cumpre logo mais às 17 horas, no Edgarzão, em Assu, contra o Guarany de Sobral, sua terceira e última partida nesta primeira fase da Série D. Em último lugar em seu grupo, com dois pontos, precisa vencer para seguir com chances, remotas, mas ainda vivas. Nem o empate serve mais.

Até aqui, o Potiguar desperdiçou as chances que teve em casa, empatando um e perdendo outro jogo.

A única coisa do que não se pode reclamar é por falta de atitude. Depois das mudanças no elenco e comissão técnica, sobra atitude, mas falta eficácia e, consequentemente, resultados. E em muitos momentos, a falta de inspiração do meio-campo e ineficiência do ataque, acaba estourando lá atrás.

A luta hoje é pela manutenção do clube em atividade e emprego do grupo. O elenco sabe disso e o mínimo que se espera é pressão, do começo ao fim. Que volte para casa, ao final da noite, com a vitória. Todos agradecem.

Cada vez mais difícil fazer futebol
Do jogo disputado contra a Ponte Preta, no estádio da Ilha do Governador, no meio de semana, o Flamengo ficou apenas com R$ 209 mil, de uma renda de R$ 803 mil, ou seja 69,3% foi só de despesas. Se está ruim para os grandes, que tem outras fontes, imagina para os pequenos, que vivem basicamente da renda dos jogos.

Sem garantia
O técnico Givanildo Oliveira foi demitido do comando do Ceará. Em 18 partidas à frente do Vovô, foram nove vitórias, seis empates e apenas três derrotas, um aproveitamento de 61,1%. Vencer mais que perder, não é mais garantia de nada.

Mercado interno
Com boas atuações (e gols), o atacante Dalberto, de 22 anos, tem sido um dos destaques do ABC na Série B deste ano. O jogador chamou a atenção do alvinegro, ano passado, quando atuava pelo Alecrim.

Mercado interno II
Esse exemplo mostra que o mercado interno pode oferecer boas opções. Manda o bom senso que se invista primeiro nesse nicho, antes de partir para as importações, até para se reduzir os riscos nas contratações.

Mercado interno III
O interessante dessa história é que os clubes médios e pequenos optam por importar até roupeiro, enquanto os grandes, mais fartos, exploram esse detalhe. A maior pobreza está na limitação financeira ou na curta visão?

Acertou
Ainda pegando o gancho sobre Dalberto, é bom lembrar que o atacante tem como agente o mossoroense Tácio Garcia. O empresário do entretenimento, ampliou seus negócios há dois anos, quando passou a investir, também, no futebol.

MM8
Hoje, às 10h30, o jogador Márcio Mossoró promove jogo festivo com amigos em seu empreendimento, a Arena MM8, no bairro Alameda dos Cajueiros. É um dos espaços mais estruturados do ramo na cidade.

A semana na história
Quinta-feira, dia 22, o ex-árbitro Riomar Mendes completa 55 anos de idade. Parabéns, moral!

Frase
“O elenco vai se reapresentar amanhã “de manhã pela tarde” – Marcelo Diaz, assessor de imprensa do Potiguar, sobre a programação do clube. Estou há horas tentando entender quando danado será “de manhã pela tarde”.

Imagem

Potiguar de 1988: Edinho Cardoso (Preparador Físico), Tiquinho (falecido), Luciano, Raílson, Onesimar, Ivanaldo e Valdeci; Sérgio Cabral, Odilon, Roberto Cearense, Rivaldo e Romildo.

Sobre Nogueirão e Pedro Ciarlini, vamos ao que interessa

Boa a iniciativa dos vereadores Raério Emídio e João Gentil, que propuseram a audiência pública realizada na semana que passou, para discutir a situação do estádio Nogueirão e ginásio Pedro Ciarlini, interditados pelo Corpo de Bombeiros, por não atenderem a legislação sobre prevenção a incêndio.

Discussões e discursos carregados de protesto e ideais povoaram o encontro. Confirmou-se que o Município tem a propriedade, mas não a posse do estádio, o que dá à Prefeitura a prerrogativa de ainda não poder injetar recursos naquela praça. Então o que falta para que o processo se concretize? Quem está impedindo isso e com qual propósito? É Prefeitura, Liga, filiados, os dois? Pior que nenhuma das partes responde essas questões nem assume ações práticas.

É por isso que a maioria dos desportistas não dá muito crédito quando se fala em audiência pública. Entende-se, por razões lógicas, que essas audiências servem apenas para se vender a imagem de que algo está sendo feito. Será que terá resultados práticos diferentes de todas as outras que já vimos? Ou quem já viu uma, viu todas?

Destaque
Embora outros jogadores mostrem bom potencial, o lateral-direito Léo Cunha, pra mim, é o maior destaque do elenco do Potiguar. Jogador com base no Palmeiras, com quem tem vínculo até o fim do ano, está à altura de muitos grandes clubes do Nordeste. E ele tem apenas 21 anos.

Mais segurança
O Potiguar sofreu este ano com goleiro. Ninguém conseguiu passar confiança no estadual e início da Série D, contrariando a tradição do clube. Milton Boqueirão tem mudado esse panorama.

Bom rendimento
Embora nunca tivesse jogado junto, a dupla de zaga Nicollas/Romeu, tem surpreendido positivamente. O pecado a ser corrigido tem sido nas jogadas aéreas.

Para analisar
O Potiguar tem, com o grupo de hoje, uma base a ser pensada para a próxima temporada, que está logo ali. O monta-desmonta, habitualmente visto, é que enfraquece e faz o clube arriscar-se a contratações duvidosas.

Na torcida
Embora muitos torçam contra os clubes da capital, devido a rivalidade e injustiças cometidas, vez por outra, contra o interior, hoje, o torcedor e, principalmente, os dirigentes do Potiguar, torcem pelo América.

Na torcida II
Fora de série em 2017, o alvirrubro mossoroense só garante calendário no segundo semestre do ano que vem se ele, ou o América, conquistar o acesso à Série C. Sendo o América, o rubro natalense abre vaga na Série D de 2018 para outro representante do RN que, pelos critérios técnicos, será o Potiguar.

Presente
O repórter Ubiratan Saldanha e a equipe da 93 FM já estão em solo piauiense para a transmissão logo mais, às 17 horas, de River x Potiguar, pela Série D. Todo mundo ligado!

A semana na história
Figura extrovertida e cheia de histórias, o massagista Mickey, do Potiguar, completa nesta domingo, 43 anos de idade. Parabéns!

Frase
“Acho que estão colocando muito “bromato” pra amadurecer essas bananas” – Joãozinho Problema, mordomo do Baraúnas. Vivendo e aprendendo.

Imagem

Flamengo dos Pintos. Campo do Lazarão, no bairro do São Manoel, em 1990

A força máxima e o dever de casa

O técnico Mastrillo Veiga teve uma semana tranquila para deixar o time do Potiguar à sua feição. Trabalhando muito, o treinador acenou para a repetição, hoje, da formação que empatou com o Guarany, semana passada, em Sobral, no máximo com uma ou duas alterações. Naquela oportunidade, sentiu que o bicho não é de sete cabeças, mas lamentou-se, com razão, do pouco tempo que teve para trabalhar.

Agora, com um pouco mais de espaço,  Mastrillo pode mostrar as reais condições do time na disputa. O fato de olhar para trás e ver o banco de reservas recheados de opções, aumentou a sensação do técnico de que os horizontes estão mais azuis em relação ao cenário que encontrou, há duas semanas. Pelo menos cinco jogadores, contratados recentemente, estão regularizados e se constituem em opções para realizar até mudanças de postura, dependendo do desenrolar da partida.

O fato é que o Potiguar mudou e qualificou seu elenco. Assim, fazer o dever de casa, necessidade em uma competição curta como essa, é uma realidade possível. Que não se perca mais tempo para isso.

Não será dessa vez
Celso Teixeira era, até semana passada, o comandante do River, mas os maus resultados o forçaram a pedir demissão. Com isso, seu reencontro com o Potiguar, onde foi campeão estadual em 2013, e a torcida junto a quem goza de prestígio, fica adiado.

Decepção
O Potiguar emitiu nota denunciando a falta de diálogo por parte da Prefeitura de Mossoró para apoio ao futebol local, e que por isso deve abrir espaço para parcerias com outras prefeituras da região ainda na Série D, postura que deve ser repetida para o estadual de 2018.

Nogueirão
A LDM deu entrada em um novo projeto do Nogueirão junto ao Corpo de Bombeiros, corrigindo dados do documento anterior. Ela espera nova vistoria, quando deve sair a liberação do estádio, acredita a entidade.

Nogueirão II
De acordo com a Liga, as ações tomadas visam a solução definitiva para os impasses criados todos os anos, quando o estádio acaba interditado, gerando prejuízos para clubes e torcedores. Fica nossa torcida por isso.

Encontro
Nesta segunda-feira, às 19h, tem o programa Prorrogação, na TV Mossoró (canal 7). Lances e toda repercussão do jogo Potiguar x River, pela Série D, entre outros assuntos. Reprise na terça-feira, às 11h.

A torcida vai?!
Com o resultado e boa apresentação em Sobral, fruto da chegada de reforços, e a possibilidade de novas estreias, a expectativa é de um bom público, hoje em Assu. O torcedor precisa entender a mudança no clube e prestar todo o apoio possível.

Positiva
Até aqui, a parceria do Potiguar com o empresário André Castro parece mais clara, aberta e promissora. Suas referências se mostram mais sólidas que o parceiro anterior, bem como suas propostas, leque de jogadores e contatos no mundo da bola. Assim sendo, que dure e todos colham os frutos pretendidos.

Agradando
Embora no início, o trabalho de Mastrillo tem sido elogiado. Mesmo com pouco tempo de treinamento, a postura do time é diferente do que temos visto e contestado nos últimos anos. O medo de vencer parece no passado. E isso estimula.

A semana na história
Hoje, o volante Ricardo Baiano, que defendeu Baraúnas e Potiguar, completa 37 anos de idade. Jogador viril, é símbolo de aplicação e dedicação. Parabéns!

Frase
“Ei, mande um alô pra mim aí na reprise do programa. Estou ligado!” – Luciano Curió, office boy, aos apresentadores do Prorrogação, da TV Mossoró. Se o alô sair, estará se inaugurando uma nova tecnologia, que é mudar conteúdo já gravado.

Imagem

Time do Potiguar, em Potiba de veteranos e convidados, em jogo beneficente ao ex-roupeiro Baterista, em 2011. Ibiapino, Edinho Cardoso, De Leon, Paulo Júnior, Onesimar, Kleber, Jocelito, Paulo Renato e Romildo. Agachados: Aldivan, Cícero Ramalho, Raério, Biola, Genílson, Cepeta e João Neto. Só as feras.

Chegou a hora da estreia

Contratações, dispensas, novas contratações e apenas um jogo-treino como teste. Some-se ainda a dispensa de um técnico com uma semana de treinos e o início de trabalho do substituto a três dias da estreia. Além disso, o time não realizou um treino sequer de reconhecimento do gramado do Edgarzão, em Assu, local da partida de estreia e que fica a 74 quilômetros de Mossoró. Ufa! De fato, os 11 dias de preparação do Potiguar até hoje, quando inicia sua jornada na Série D, foram bem intensos e surpreendentes. A disputa é tiro curto, por isso a preparação precisava ser o inverso.

Por esses fatores, o jogo de logo mais, no Edgarzão, é cercado de incertezas e vira total loteria para o Potiguar. O mesmo não se pode dizer sobre o adversário. O Maranhão manteve uma base utilizada no estadual, contratou mais 10 reforços e o trabalho não sofreu interrupção desde o estadual.

Diante desses fatores, não tem como negar seu favoritismo. Diferente de muitos, creio que futebol tem lógica. Mas a lógica, muitas vezes, é contrariada. Então, custa pouco acreditar. Sorte ao Potiguar.

Quase espectador
O técnico Mastrillo teve apenas um treino para conhecer o elenco e definir o time do Potiguar para a estreia de hoje. Seja o que for que aconteça, quase nada poderá ser atribuído ao técnico, inclusive a vitória. Tudo estará, praticamente, na inspiração e transpiração dos próprios jogadores.

Virou ciência
O Potiguar deste ano se superou. Errou tudo que poderia errar e ainda ficou com sobras para a próxima cota de equívocos. Precisa ser estudado. Talvez até sirva como objeto de estudo em uma tese acadêmica.

Ingressos
O torcedor que for a Assu, hoje, pagará R$ 40,00 no ingresso. Estudantes terão abatimento de 50%. As vendas acontecem a partir das 15h, nas bilheterias do Estádio Edgarzão.

Terra boa
Assu, a Terra dos Poetas sempre foi uma boa opção de lazer para os mossoroenses, sobretudo em dia de jogos de Baraúnas e Potiguar. Uma passadinha nos balneários e depois o futebol à tarde, boa combinação.

Coincidência
O Potiguar conseguiu regularizar apenas 16 jogadores para a estreia, hoje em Assu. No estadual deste ano, o rival, Baraúnas, foi ainda pior. Regularizou apenas 14 jogadores quando de sua contra o Assu, no Edgarzão.

Potiguar
Provável time: Ronaldo Maranhão; Léo Cunha, Fernando, André e Murilo; Rafael Potiguar, Lua Clayton, Augusto e Emerson Sales; Dedé Macaíba e Lucácio.

Arrumar a casa
Torço pelo sucesso do Potiguar e dos empresários e jogadores que apostam suas fichas nessa oportunidade. Há dinheiro e sonhos em jogo. Um bom resultado dará a tranquilidade que todos esperam para arrumar a casa até o próximo jogo, inclusive os desencontros extra-campo.

A semana na história
Neste domingo, o ex-jogador Zácone, que marcou época no Baraúnas e que também teve passagem pelo Potiguar, completa 52 anos de idade. Parabéns!

Frase
“Tem que pedir ao Itamaraty para mandar um “porta aviões”, para ele sobrevoar o estádio e tirar os jogadores do São Paulo de lá” – Maurício Borges “Mano”, comentarista do Fox Sports, sobre o risco do jogo entre São Paulo x Emelec, em Guaiaquil. Um navio que voa é novidade.

Imagem

Para quem teve apenas um treino no comando, a conversa talvez tenha sido a melhor forma de acertar os passos do time. O técnico Mastrillo sabe que os momentos no vestiário neste domingo podem ser fundamentais. Foto: Marcelo Diaz/ACDP

Edgarzão, Arena ou Frasqueirão?

A diretoria do Potiguar rejeita jogar de portões fechados, caso o Nogueirão não seja liberado para o público no Brasileiro, que é a tendência. Dessa forma, os cartolas já falam em Arena das Dunas e Frasqueirão. A alternativa mais sensata do ponto de vista econômico, pela distância e custo de abertura, seria o Edgarzão, em Assu, mesmo que nesse momento o time ainda desperte desconfiança de sua torcida. Ah, mas os laudos do estádio assuense venceram. E daí? É para isso que existem vistoria e renovação de laudos. Qual dificuldade nisso? Não é a mesma situação do Nogueirão.

É bom ser claro. O Potiguar não é atração na capital a ponto de atrair público suficiente que lhe garanta um saldo positivo. Diante do quadro, em que se rejeita atuar em Mossoró de portões fechados, o Edgarzão segue como opção mais viável. A não ser que haja algum tipo de garantia ofertada pela FNF, ou quem quer que seja, para se decidir jogar tão longe de sua sede. De outra forma, não há sentido.

No momento, não há interdição
Diferente do que muitos se apressaram em noticiar e do que vinha ocorrendo anteriormente, o Nogueirão não está interditado. Pessoas trabalham lá, o gramado está sendo cuidado, treinos e jogos de base seguem em disputa. Antes, não podia nem entrar. E se vier algum impedimento, a tendência é que diga respeito apenas à presença de público. Parece que, dessa vez, reina o bom senso.

Sem uso
Ainda sobre o tema interdição, só para lembrar, quem continua impedido pelo Corpo de Bombeiros de sediar eventos com presença de público, é o Ginásio Pedro Ciarlini. Já faz um tempinho.

Tá explicado
Custei a entender porque as reclamações sobre cotas de tv ocorriam de forma baixinho, para ninguém ouvir, até descobrir que tem time que sempre recebeu, mas não publicizava para não chamar a atenção dos demais. É coisa de R$ 100 mil prá lá.

Time base
Rafael Betiol; Augusto, Fernando Andrade, André e Gustavo Henrique; Rafael Potiguar, Jonathan, Murilo e Cris; Dedé Macaíba e Lucácio. Edivaldo Oliveira já esboçou o time base do Potiguar para a estreia na Série D.

Time base II
Rodrigo Ramos; Rômulo Ferreira, Ramon, Yuri e Chico Bala; Sandro Bacabal, Eloir e Éder; Gabriel, Emerson e Naoh. Esse é o time do Maranhão, do técnico Ruy Scarpino, que vem treinando para enfrentar o Potiguar.

Disputa?
No fim do ano, tem eleições no Potiguar. Com a brecha aberta pela atual gestão, uma ala fala na volta de Benjamim Machado que já teria afirmado decisão de retorno. Outra chapa, menos badalada, mas não menos comprometida, poderá se formar. Quem sabe.

Bom sinal
O Mossoró pode ter na 2ª divisão deste ano, uma comissão técnica entrosada e conhecedora. O técnico Edinho Cardoso e o preparador físico Gilterlan Ferreira são nomes cotados para trabalharem no Carcará.

A semana na história
Na próxima quinta-feira, dia 18, o ex-jogador Márcio Cardoso, atacante que defendeu Baraúnas, Potiguar, ABC, entre outros, completa 41 anos de idade. Parabéns!

Frase
“Pra jogar no Corínthians, tem de ter lealdade e disposição. Essa camisa é horrorosa” – Half, quando chegou ao Timão. Poderia ter pensado em uma declaração mais honrosa.

Imagem

Ginásio da ACDP, 1985. Eis o tradicional time de Handball do Colégio Dom Bosco, nos Jern’s. Em pé: Ivaniel Lima, Lenílton Junior, Claudio Holanda, Marcelo Duarte (Juruna), Ronaldo e professor Toinho (falecido). Agachados: Cássio, Valcimom, Fernando, Edilberto Barros e Zico.

Clubes prestam apoio a José Vanildo

Na semana que passou, Baraúnas e Potiguar emitiram notas em seus respectivos sites, agradecendo particularmente ao presidente da FNF, José Vanildo, o apoio e suporte dado a estes durante o Estadual.

Coincidentemente, a manifestação de apoio ao cartola chega imediatamente após o presidente do Globo, Marconi Barreto, cobrar publicamente transparência na gestão de Vanildo. A harmônica reação de gratidão dos clubes mossoroenses revela uma demonstração de força do próprio presidente perante a maioria esmagadora dos filiados. Essa prova é tirada da cartola do dirigente sempre que algum isolado comportamento de rebeldia é detectado.

De toda forma, mais uma vez, Zé Vanildo fica documentado pelas notas emitidas que é um bom presidente para estes e que as queixas feitas pelos cantos de parede não passam de um jogo de cena para agradar a opinião do torcedor que, sem conhecimento de todos os fatos, tem outra visão. Que se calem para sempre.

Projeção merecida
Em quatro anos, dois vice-campeonatos e dois terceiros lugares. Essa é a performance do Globo desde que chegou à elite do futebol potiguar em 2014. A regularidade no estadual, hoje televisionado, e suas frequentes aparições em competições nacionais fazem da Águia de Ceará Mirim, no momento, o clube potiguar mais conhecido lá fora, após ABC e América. Colhe os frutos pelo projeto profissional que montou.

Só para constar
O corpo das notas divulgadas por Potiguar e Baraúnas, em apoio a Zé Vanildo, também reservou um espaço secundário aos patrocinadores e, por último, à imprensa.

A conta vai chegar
O Potiguar deverá enfrentar, dentro em breve, problemas na área trabalhista. Os jogadores trazidos pelo empresário Zé Carlos durante o estadual saíram sem ver a cor do dinheiro pelo vínculo. Movimento ainda silencioso se forma.

A conta vai chegar II
O clube entende ser do empresário a responsabilidade, mas o contrato com o profissional é assinado pela instituição. Assim, pela ordem natural, será ele o acionado. Pode até adiar, mas a conta chegará.

Seleção
Nesta segunda-feira (8), no programa Prorrogação, da TV Mossoró, vamos apresentar a seleção do estadual deste ano. Começa às 19 horas, com apresentação deste colunista e dos colegas Marcos Santos e Fabiano Morais.

MEC
João Dehon já começa o Mossoró Esporte Clube para a segunda divisão potiguar, a ser disputada no segundo semestre. Não me surpreende, pela experiência acumulada, se a ascensão vier neste ano.

A semana na história
Na quarta-feira, 10, o bom meia-atacante Willian Radames completa 26 anos de idade. Campeão em 2013 pelo Potiguar no RN, Radames já defendeu o Baraúnas e, recentemente, Santa Cruz. Parabéns!

Frase
“Fiquei muito feliz quando cantaram parabéns pra você “pra mim!” – Paulo Isidoro, nos tempos de Atlético Mineiro, falando da homenagem da torcida no seu aniversário. Não poderia ser só “parabéns pra mim”? Precisava desse nó todo?

Imagem

Foto histórica, antes do amistoso Baraúnas 1×3 Botafogo, anos 80. Da esquerda para a direita, Gustavo Bolão (com a camisa do Bota?), Kaio Jefferson (ex-árbitro já falecido), Alex Moacir (hoje vereador), Júlio César (ex-vereador), Frediano, Alemão, Gláucio e George.

Serviços no Nogueirão são concluídos

Com escadas, corrimãos e parte elétrica instaladas, o Nogueirão está pronto para receber um novo laudo do Corpo de Bombeiros.

Os serviços, que começaram no início do ano, ainda na rápida gestão de Eudes Fernandes à frente da LDM, foram concluídos esta semana, já sob a condução de João Dehon, novo presidente da entidade.

Foi um trabalho totalmente patrocinado por pessoas físicas. Eudes custeou as escadas de emergência, enquanto Francisco Brás, ex-presidente e eterno colaborador, bancou os custos com os corrimãos e recuperação do gramado. Em sua chegada, João Dehon foi responsável pela instalação de 180 metros de um cabo específico de energia ligando a rede externa a bomba que aciona o sistema de hidrantes, com custo total estimado em R$ 16 mil.

Agora, de acordo com Rocelito Miranda, que faz parte da nova gestão da entidade, na terça-feira (2), será dado entrada no comando local do Corpo de Bombeiros, um pedido de vistoria no estádio.

A expectativa é que na quarta ou quinta-feira, o Nogueirão seja vistoriado e, se tudo estiver dentro das normas, receba um novo laudo com validade de um ano. Parabéns a todos e amém!

Chateado
O técnico Emanoel Sacramento estranhou declarações do presidente do Potiguar, Marco Fernandes, dadas na imprensa local, de que ele precisaria se reciclar. O treinador foi demitido durante o estadual com um saldo de três vitórias e dois empates.

Chateado II
Sacramento enviou nota ao Portal F9 em que relata diversos problemas enfrentados no clube e reclama de pendências salariais relativas ainda a Série D de 2016 e estadual deste ano. Visite o site e saiba mais: www.f9.net.br.

Equação
O Potiguar ainda deve do estadual 19 dias trabalhados aos jogadores e 35 à comissão técnica. Com histórico de bom pagador, o clube busca equacionar a dívida e os novos investimentos, no caso o elenco da Série D.

Mercado interno
Por conta da questão financeira, mais do que nunca, é que o Potiguar deve reduzir seus custos, analisando primeiro o mercado interno de jogadores, buscando o que há de melhor no RN, para só depois importar.

Mercado interno II
Além dos que restaram em sua base, há também jogadores como Érico, Johnson, Nildo e Deivinho (Baraúnas); Lano e Romeu (Assu); Carlos Mibipu, Moisés e Radames (Alecrim); Jean Natal, Índio Oliveira e Hudson (Santa Cruz); Ítalo e Capacete (ABC). O mesmo se aplica aos treinadores: Pedrinho, Barata e Júlio Terceiro.

A volta
Observando à distância a dificuldade de momento, o ex-presidente do Potiguar, Benjamim Machado, revelou a pessoas próximas que não encara a Série D, mas que será candidato novamente para o estadual de 2018.

A semana na história
Hoje, 30, o ex-jogador Raílson Costa, que atuou nos anos 80 como zagueiro por Potiguar e Baraúnas, completa 55 anos de idade. Parabéns, time grande!

Frase
“Tinha um atacante bom que era o apelido de um carro…Paulinho Marlboro” – Daniel, mordomo do Potiguar, fazendo alusão a Paulinho McLaren, ex-jogador do Santos e tantos outros. A relação patrocínio/equipe de Fórmula 1 confundiu a cabeça do rapaz.

Imagem

Em 2005, América e Baraúnas disputavam amistoso no antigo Machadão. Na época, o tricolor se preparava para a Série C. Na imagem, o zagueiro Bartô, pelo Baru, e Erivan, capitão do América. Á direita, o mossoroense Riomar Mendes, como auxiliar nesse jogo. Foto: Fábio Oliveira.

O que somos, onde estamos e onde iremos?

A sazonalidade, aspecto que ajuda no abismo entre o profissionalismo e o semiprofissionalismo no futebol, segue de forma real em Mossoró.

Depois de dois anos seguidos disputando a Série D, nosso futebol não terá calendário no segundo semestre do próximo ano. O Potiguar terminou o estadual na quinta colocação, com 21 pontos. Foi superado pelo Assu, também com 21, mas que teve um saldo de gols menos ruim (-2 a -6); pelo América, com 22; Globo, com 26 e ABC, com 42 pontos.

O Baraúnas foi ainda pior, encerrando a temporada na sexta colocação, com apenas 16 pontos, à frente apenas de Santa Cruz, vice-lanterna com 10, e Alecrim, rebaixado, com sete pontos.

Mesmo que o América suba este ano para a Série C, a vaga na quarta divisão nacional do próximo ano passa para o quarto colocado do RN, no caso o Assu. Resumindo, em 2018 fecharemos nossas portas, no máximo, em abril. Serão oito meses mergulhado em total letargia, abrindo um hiato cada vez maior até ABC, América e Globo, clubes e estruturados.

O pior é saber que estamos nos acostumando com isso. Diante dos fatos, qual força representamos mesmo no atual cenário? É bom parar para pensar e agir se, de fato, essa condição incomodar a alguém.

Pontos cruciais
Apesar de todos os erros administrativos cometidos nesta temporada, o Potiguar ficará fora da Série D em 2018 por questões técnicas, reafirmo. Depois de uma partida quase perfeita contra o América, resolveu se acovardar diante do Baraúnas e, pior, contra o rebaixado Alecrim. Aqueles pontos perdidos, decidiram. Foi ali que jogou seu calendário fora.

Quase pronto
Com corrimãos já instalados, nesta terça-feira (25), a LDM conclui os serviços elétricos no Nogueirão, atendendo assim as exigências dos Bombeiros, garantindo o estádio aberto.

Foco
Em tempo, quando indagado sobre sua prioridade como presidente da Liga, João Dehon foi enfático: “manter o Nogueirão aberto de uma vez por todas”. Se assim o fizer, acabará com a novela iniciada em 2004.

Sério?
Com o boato de que o Potiguar ameaça não participar da Série D, devido falta de patrocínio do Município, torcedores do Baraúnas já se animam pela herança da vaga. Algo igualmente sem sentido.

É sério
Não creio que a diretoria tricolor, em sua sã consciência, esteja pensando na hipótese. Se não tem apoio da Prefeitura para o rival, por que teria para si? Sabendo que tem ainda tem pendências a resolver, seria inconsequência emendar outra situação.

Teste
Não creio que o Potiguar desista da Série D, apesar de suas dificuldades. Com despesas essenciais bancadas pela CBF, como transporte, hospedagem e arbitragem, pode utilizar a competição para fazer laboratório visando o estadual. Só terá que deixar seu projeto claro ao torcedor para que ele não se sinta enganado.

Teste II
Seria a oportunidade, por exemplo, de testar o real potencial dos jogadores criados no clube, cujo pouco aproveitamento pelos treinadores gerou discórdia interna. É a hora de separar os meninos dos homens.

A semana na história
Na próxima quarta-feira (26), o ex-atacante do Potiguar, Rodrigo Ludke completa 37 anos. O gaúcho foi vice-campeão estadual pelo alvirrubro em 2008.

Frase
“Os caras dizem que eu tenho a mesma “filosofia” de Vivi. Que sou mesmo que estar vendo. Mas não acho” – Jackson, ex-atacante de Potiguar e Baraúnas, analisando sua fisionomia e semelhança com o irmão.

Imagem

Na imagem, o atacante Maurício Pantera comemora um dos oito gols marcados por ele no estadual de 2006, ano do título do Baraúnas. Atrás, aparece Luciano Paraíba, artilheiro daquela temporada com 11 gols. (Foto Alexandre Pinto).

João Dehon será o novo presidente da LDM

O presidente do Mossoró Esporte Clube, João Dehon da Rocha, deve ser conduzido nesta terça-feira (11), em eleição a ser realizada a partir das 19h30, à presidência da Liga Desportiva Mossoroense (LDM). É um desejo antigo seu que se materializa a partir de agora.

Dehon terá muito trabalho, mas possui capacidade para cumprir bem a missão. Não deve ter concorrentes e seu nome conta com o apoio do atual presidente, Francisco Brás, fator que tem um peso significativo junto aos filiados. Brás, inclusive, que havia se afastado do cotidiano da Liga e do Nogueirão, devido discordar de algumas decisões do empresário Eudes Fernandes, que vinha conduzindo a entidade de forma provisória, deve se engajar novamente à vida da LDM.

Outro desportista que reforçará o projeto é o ex-jogador e ex-gerente do Nogueirão, Rocelito Miranda, primo do futuro presidente. Miranda foi convidado para ser vice na chapa de Dehon. Em conversa com este colunista, afirmou que sua atuação deve ser mais focada nas bases e suas competições, independente do cargo que venha ocupar.

Magno Ramon
O preparador de goleiros pernambucano, Magno Ramon, que fixou residência em Mossoró, transferiu-se na semana passada para Nova Lima-MG, para trabalhar nas bases do Vila Nova. Magno foi vice-campeão estadual com o Potiguar em 2008 e campeão em 2013. Profissional sério e competente, merece todo o sucesso.

Em atividade
Embora tenha anunciado que pararia após o estadual, o zagueiro Nildo deve adiar um pouco sua aposentadoria e disputar no segundo semestre, a divisão de acesso pelo Mossoró Esporte Clube.

Paredão no Carcará
Quem também pode reforçar o Carcará na segundona é o experiente goleiro Érico. O MEC, que é dirigido pelo ex-presidente do Baraúnas, João Dehon, promete vir forte para tentar o acesso à divisão de elite.

Em casa
Se resolver investir no mercado interno para definir o treinador para a disputa da Série D, não faltará opções ao Potiguar. Pedrinho, que já está no comando, e Ronaldo Bagé, do Baraúnas, seriam o ponto de partida.

Em casa II
Além destes, o Alvirrubro tem na figura do ex-jogador Júlio Terceiro, uma possibilidade. O ex-volante do América faz uma campanha de recuperação no Santa Cruz que merece, no mínimo, uma avaliação.

Em casa III
Sobre jogadores, o mercado interno também oferece opções que reforçariam bem esse elenco alvirrubro. Léo Bahia e Moisés, do Alecrim; Mael, Hudson e Jean Natal, do Santa Cruz; Almir, do Assu, não devem ser desprezados.

Periquito agoniza
Além da queda, o coice. Não bastasse estar lutando contra o rebaixamento, o Alecrim teve suas rendas bloqueadas pela Justiça para pagamento ao ex-jogador Carioca, que já atuou aqui no Potiguar. O Periquito é sério candidato ao desaparecimento.

A semana na história
Nesta segunda-feira (10) é o aniversário do meia Vaninho, ex-Potiguar e Baraúnas. O jogador completa 32 anos de idade. Parabéns, enjoento!

Frase
“Professor, o passe está saindo direitinho, só falta força” – Do lateral Samuel, quando defendia o Potiguar, respondendo ao então preparador físico do clube, Alan Frederico, quando indagado como estava seu passe. Alan referia-se à situação contratual e não ao fundamento.

Imagem

O meia Lucas Fernandes, uma das joias do São Paulo, é filho do mossoroense Iluílton, colega de infância que também era craque na bola e que está radicado em São Paulo há anos. Mês passado, Lucas renovou seu contrato com o tricolor até 2021.

O Potiguar precisa resolver com o Alecrim antes de pensar no Globo

O Potiguar tem hoje, no Nogueirão, o Alecrim como mais um adversário em sua sequência decisiva visando uma possível final de turno. Depois disso (e só depois disso) é que vem o Globo, o time a ser batido e já finalista do campeonato.

Friso isso para lembrar que todo time é armado de acordo com seu próximo adversário e não projetando adversários futuros. A observação se baseia na formação anunciada pelo técnico Emanoel Sacramento, em que acena para a escalação de três zagueiros e três volantes, o que me parece um exagero em se tratando do Alecrim, time que luta contra o rebaixamento. Senão veja: Lucas, Cláudio Baiano, Joseph, Batata, Sidney e Jozicley, todos juntos e treinando como titulares.

Independente das funções de cada um, hoje, os seis continuarão com características defensivas e com orientações restritivas. O time perde em criatividade e ofensividade, o que pode fazer o frágil Alecrim gostar do jogo, como gostaram Assú e Baraúnas, quando sentiram que a proposta do Potiguar não era tão voraz, quanto imaginavam.

Sacar Du Paraíba, que vinha bem entre os titulares, e Luan que, apesar da lentidão, é habilidoso e tem sido responsável pela criação, fica muito claro um zelo excessivo com um adversário que não é nenhuma Brastemp.

O Alecrim da atualidade não merece tanto e o torcedor muito menos.

Empate não vale
Não tendo vencido ainda como mandante em 2017, o Baraúnas se apega ao fato de ser um visitante indigesto para superar, hoje, o Assu, adversário com quem costuma travar boas batalhas, mesmo no Edgarzão. Se quiser algo no turno, o tricolor precisa vencer já, pois só empatar não é bom, embora o último, por ter sido no clássico, tenha rendido até festa na casa do atleta. Apesar de suas limitações, o Leão pode ser mais.

Parou
O meia Tiago Barreiros, um dos destaques do Potiguar na Série D de 2016, utilizou das redes sociais neste sábado (25) para anunciar sua aposentadoria no futebol, no auge dos seus seus 27 anos de idade, 15 dos quais nos gramados.

Parou II
“Apesar de ter resistido muito e pensado até cansar antes de tomar essa decisão, sinto que fiz a escolha certa… Preciso de uma estabilidade que infelizmente o futebol não me ofereceu”, justificou Barreiros em sua postagem.

Boca no trombone
“Sem patrocínios e com o atraso do prometido apoio da PMM, a situação do nosso futebol vai de mal a pior”, desabafou o vice-presidente do Baraúnas, o radialista Gílson Cardoso, em sua conta no Facebook.

Boca no trombone II
A reclamação também encontra ressonância no Potiguar. Embora os dirigentes não tenham se pronunciado publicamente ainda, a insatisfação na diretoria é grande com o silencio da Prefeitura até aqui.

Só dois
O jovem goleiro Yuri, reserva imediato de Rafael Dida, no Potiguar, não joga mais nesse estadual. O jogador rompeu ligamentos do joelho esquerdo e está fora de combate. O jovem Matheus, da base, fica como única opção.

Devendo
A torcida do Potiguar está devendo uma resposta ao clube por conta das contratações realizadas e resultados neste turno. O torcedor não tem mostrado nos jogos uma frequência à altura de sua tradicional paixão.

A semana na história
Quinta-feira (30), o ex-zagueiro do Potiguar, Índio Sertânia, completa 34 anos de idade. Parabéns!

Frase
“Em terra de cego quem tem um olho é gay” – Chico Massagista, quando mordomo do Potiguar, em uma tentativa filosófica frustrada para impressionar os colegas.

Imagem

Time Manoel Do Munck, que disputa o Campeonato do Carnaubal 2017: Guedo (técnico), Cabeça, Roger, Altenor, Maikon, Marinho, Júlio César, Isaac, Diego, Romero, Romário, Chinês, Bega, Tom, Mailson, Raniálisson e Zé do Pau.

Sobre o F9

A partir de Mossoró, segunda maior cidade do Rio Grande do Norte, escrevemos sobre esportes, com ênfase para o futebol, nossa maior paixão. Notícias, vídeos, tabelas, opinião e tudo o mais que nos move pela estrada da informação esportiva. Somos uma equipe apaixonada pelo tema e compromissada com a verdade.