Segue o jogo. É assim que tem que ser.

Quando ainda treinava o Cruzeiro, o português Paulo Bento se revoltou com um episódio ocorrido durante confronto de sua equipe contra o América Mineiro, pelo Brasileiro. O tal do fair play, quando se põe a bola para fora, forçando o atendimento médico a um jogador, o tirou do sério a ponto de o treinador declarar em entrevista que seu time não devolveria mais a bola, nem exigiria sua devolução, em situações dessa natureza. E com razão. Enxergava, como eu, que o que ocorre em sua esmagadora maioria, é o artifício da encenação do adversário para ganhar tempo, quando o placar lhe convém. E isso nada tem a ver com fair play. Quem tem que determinar quando o jogo para é o árbitro e não o jogador. O torcedor paga caro para ver a bola rolar e não para ser roubado com encenações baratas. Paulo Bento já foi embora, mas ficou o registro de uma revolta justificada. O brasileiro, quem mais reclama, é quem mais contribui para o anti-jogo que empobrece o esporte. Chega disso.

Torcendo pelo empate
Hoje, América e Alecrim se enfrentam no Nazarenão, pelo Estadual Sub-19. O Potiguar fica de olho nesse jogo pois, dependendo do resultado de ontem, contra o ABC (a coluna já estava fechada), chegará à última rodada, contra o próprio América, em Mossoró, vivo pela conquista do título do turno para levar uma das vagas do RN na Copa SP.

Será, dessa vez?
Argentina eliminada no masculino e Estados Unidos no feminino. O futebol das olimpíadas dá uma pausa na tradição para dar uma chance ao ineditismo no ouro. O torcedor espera que o Brasil aproveite o refresco.

Só um errinho
A página do Ituano-SP anunciava o confronto contra o Inter de Lages-SC, pela Série D, para Lajes no RN. O erro ortográfico, com a troca do G pelo J, mudou o local da partida em 3.700 quilômetros. Embora desconfiado, o amigo Tárcio Araújo, lajense com orgulho, chegou a comemorar.

Sinal de alerta
É fato e justificado o temor dos dirigentes de ABC e América com a campanha dos dois na Série C. Os prejuízos são imensuráveis com a permanência por mais uma temporada na terceira divisão, o que compromete os planos para 2017.

Cinco
A segunda divisão potiguar terá cinco clubes. Como já havia antecipado a coluna, o Mossoró desistiu da disputa. Santa Cruz, Atlético Potiguar, Atlético Potengi, Força e Luz e Visão Celeste são os integrantes.

Oito
Pelo que se sabe, até aqui, da segunda divisão sobe apenas um. Com isso, também se confirma que a primeira divisão de 2017 permanecerá com oito clubes, como foi este ano. Pela qualidade, tá de bom tamanho.

Apito potiguar
Tem trio potiguar, hoje, na arbitragem da Série A. Caio Max apita São Paulo x Botafogo, com auxílio de Flávio Gomes Barroca e Vinícius de Melo Lima.

 

A semana na história
Quarta-feira (17), o professor de educação física, técnico de handebol e ex-árbitro da FNF, Hudson Lopes, completa 42 anos de idade. Parabéns!

Frase
“Ele teve um problema no “Calcanhar de Aquino” – Chico, massagista, na época do Baraúnas, explicando a contusão do meia Da Silva.

Imagem

Time da Gazeta, em 1988, no campo do Thermas: Pereirinha, Fabio, César Santos, Carlos Santos, Berg e Raimundo Nunes (falecido); Toinho, Landisberg, Britinho, Fabiano Santos e Raílton.

Time da Gazeta, em 1988, no campo do Thermas: Pereirinha, Fabio, César Santos, Carlos Santos, Berg e Raimundo Nunes (falecido); Toinho, Landisberg, Britinho, Fabiano Santos e Raílton.

 

 

O barato ficou até barato para Índio

Em nível regional, a notícia da semana foi a suspensão do zagueiro Índio, por um ano, por conta do doping por uso de cocaína, flagrado em exame durante a disputa da Copa do Brasil, pelo River do Piauí.

A conta seria maior, se ele não tivesse admitido o uso da sustância. Poderia ter pego dois ou até quatro anos de gancho. Índio, ex-Baraúnas, será testado periodicamente, para comprovar que estará limpo nesse período de suspensão.

Entendo que o jogador não usou a cocaína para tirar proveito dentro do esporte, mas merece a punição como qualquer outro pois sabia dos riscos que corria ao curtir seu vício. Até saiu barato para ele. Se fosse um jogador de renome nacional, teria enfrentado um gancho maior, para servir de exemplo para os mais jovens.

Mas os medalhões ganham fortunas e podem ficar um ano sem trabalhar que não terão sua estrutura financeira abalada. Não é o caso de Índio. Trocando em miúdos, não tem pano para as mangas e vai sofrer, junto com sua família, as consequências da burrice. Por tabela, deixará suas viúvas, aqui em Mossoró, órfãs por mais um ano.

Que nem bala
O passeio da tocha pelo Brasil colecionou histórias hilárias, mas nenhuma supera sua saga no Morro do Alemão, no Rio de Janeiro. Com as balas cortando o céu carioca, o condutor da tocha e a Guarda Nacional voaram, tipo corrida de 100 metros, no melhor estilo Usain Bolt.

Sem contestação
A escolha de Pelé para acender a pira olímpica, foi tudo de justo. Com sua saída (por motivos de saúde, dizem), a justiça se manteve com a entrada do ex-maratonista Vanderlei Cordeiro. Deu até para relevar Anita entre Gil e Caetano.

Sub-19
Hoje, no Nogueirão, às 16h30, tem Potiguar x Coríntians de Caicó, pelo Estadual Sub-19. O Alvirrubro precisa vencer para continuar na luta pelo título do segundo turno e levar vaga para a Copa São Paulo.

Cobertura
O Portal F9 tem feito a cobertura de todos os jogos do Potiguar no Estadual Sub-19. À noite, os melhores momentos da partida contra o Coríntians já estarão disponíveis no site. Acesse www.f9.net.br e confira.

Sorriso largo
A desistência do Mossoró em disputar a segunda divisão deste ano, é comemorada por dirigentes de Baraúnas e Potiguar que temiam ver o bolo da Prefeitura ser dividido por três, com eventual acesso do Carcará.

Não mais que um
Muitos acreditam que Mossoró não comporta um terceiro time. A questão dos recursos de patrocínio da Prefeitura seria uma das alegações. Vou além. Independente disso, faz tempo que só dá para um e mal.

Ou até mais
Mas até admito que Mossoró comporta mais clubes, contanto que tenham força própria, venham bancados por empresários, como o Santa Cruz, de Lupércio Segundo, e Globo, de Marconi Barreto. Aí dá até 10. Do contrário, é pedir esmolas pra dois, pra três…

A semana na história
Hoje, o preparador físico da base do Potiguar, Állan Frederico, completa 32 anos de idade. Bom profissional e pessoa do bem, leva os parabéns da coluna.

Frase
“O motorista não pode ver uma descida que só quer ir na “bengala” – João, mordomo do Potiguar. Gosto é gosto, fazer o que?

Imagem

Time do Humaitá, em 1973: Rogério, Laerte, Quincas, Tiziu, Tião, Xexéu e Couto; Bola 7, Evaristo, Aldemir, Lino, Gil e Rocha.

Time do Humaitá, em 1973: Rogério, Laerte, Quincas, Tiziu, Tião, Xexéu e Couto; Bola 7, Evaristo, Aldemir, Lino, Gil e Rocha.

De Nogueirão, Liga e Prefeitura

Com a recente decisão da Justiça do Trabalho em responsabilizar unicamente a LDM pela dívida trabalhista do seu ex-funcionário Borracha, excluindo a Prefeitura, o pagamento dessa conta ficou mais complicado.

A LDM não tem nenhum patrimônio nem fonte de renda, a não ser, por acordo com o Município, 5% das rendas para colaborar na manutenção de seus campeonatos, isso quando tem jogos e a renda dá algum caldo. Também, o presidente Francisco Brás não parece mais disposto a oferecer recursos do próprio bolso, como fez antes, para pagar a conta que não é sua.

Só para lembrar, para evitar um possível leilão do Nogueirão, Brás chegou a propor alguns acordos: Um deles seria a cessão de duas casas em uma praia da região; Outro, um carro de sua propriedade e 36 parcelas de R$ 5 mil; Um outro oferecia lotes de terra às margens da RN-015; O último deles, perante o Juiz Vladimir Paes de Castro, da 3ª Vara do Trabalho de Mossoró, em 2014, previa o pagamento de 20 parcelas de R$ 5 mil, mais 15 parcelas de R$ 7 mil. De acordo com Brás, todas as propostas foram rejeitadas pelo reclamante. Agora, a cantiga mudou e o futuro é incerto. O que é certo mesmo, até este momento, é que o Nogueirão não corre mais risco de voltar a ir a leilão um dia.

Lá, foi 2×1
O Globo tem uma decisão, hoje, no Barretão, contra o Campinense, pela Série D. Se empatar, está fora. Como a regulamento é igual ao da Copa do Brasil, com o gol qualificado, se vencer por um 1×0, passa.

Segundona
Tudo caminha para o Mossoró EC ficar mesmo fora da 2ª divisão deste ano. Problemas de saúde na família do presidente João Dehon, dificultam neste momento o projeto de o Carcará retornar a elite potiguar. Dia 10 é o prazo para resposta.

Segundona II
Embora não se tenha notícias dos outros concorrentes, neste momento, o Santa Cruz, do empresário Lupércio Segundo, por ter iniciado mais cedo e apresentado alguns bons nomes, já é tido como um favorito.

Só na redes
Com o fim da temporada para o time profissional e apenas as categorias de base em atividade, o Potiguar decidiu retirar o seu site do ar. Em nota, o clube afirma que concentrará suas informações apenas nas redes sociais.

Cobrança
O comentarista Isaías Rodrigues, da 93 FM, revelou que o técnico Paulo Moroni ficou na bronca com o presidente do Globo, Marconi Barreto, por não ter recebido comissão pela venda do atacante Ricardo Lopes.

Cobrança II
Foi Moroni quem o indicou ao Globo, na época, e havia esse acordo sobre comissão, em caso de venda. Agora, uma empresa paulista cobra na justiça a sua parte pela venda do atleta, que rendeu R$ 6 milhões ao Globo.

Recuperando-se
O meia-atacante Giovanni, ex-Potiguar, já retirou os pontos e iniciou fisioterapia no braço direito, fraturado no jogo de ida, contra o Serra Talhada, pela Série D. Gigio já acertou, inclusive, com o Sampaio Correa, do técnico Emanoel Sacramento, para disputar a Copa Rio, em setembro.

A Semana da História
A segunda-feira (1), marca o aniversário de 44 anos do árbitro mossoroense, Valdick Leão. Parabéns!

Frase
“É claro e “óbito” que a parada prejudica o trabalho” – Do goleiro Érico, quando de uma greve dos jogadores do Baraúnas, em 2014.

Imagem

Time juvenil do Baraúnas, em 1961: Ronald, Julimar, Nivaldo Dantas, Aldeirton, Zé Maria, Ananias e Da Silva. Laerte, Batista, Toinho Delmiro, Emanoel e Enoque.

Time juvenil do Baraúnas, em 1961: Ronald, Julimar, Nivaldo Dantas, Aldeirton, Zé Maria, Ananias e Da Silva. Laerte, Batista, Toinho Delmiro, Emanoel e Enoque.

 

 

Quando se quer, faz. Quando não se quer, fala-se em permuta

Enquanto o Estádio Nogueirão entra ano e sai ano sob ameaça de interdição, devido problemas estruturais, e por estar em desconformidade com a legislação de segurança vigente, em Pau dos Ferros, no Alto Oeste do estado, as ações parecem mais efetivas em seu estádio, o 9 de Janeiro. Lá, a Prefeitura já iniciou obras de reforma que prometem deixar a estrutura daquela praça com um outro aspecto. A reforma iniciada no 9 de janeiro será ampla, a começar pela fachada, que ganhará novo e mais moderno layout. Na parte interior, de acordo com matéria publicada na semana que passou aqui no Jornal de Fato, serão construídos 11 lances de arquibancada no setor sul do campo com degraus de 45 metros de comprimento e duas rampas de acessibilidade, além de estrutura para a definição de espaços como área administrativa, sala de árbitros, vestiários, banheiros para deficientes e depósitos de materiais esportivos. Tudo deve ser entregue ao desportista até dezembro deste ano.

Futebol com mais emoção
Todos ligados na transmissão de Potiguar x Serra Talhada, pela 93 FM, logo mais. Narração de Fábio Oliveira, comentários de César Santos e Agnaldo Fidélis, além das reportagens de Jaedson Freitas.

Há recursos
As obras do Estádio 9 de Janeiro estão orçadas em R$ 335 mil, dos quais apenas R$ 43 mil sairão dos cofres da Prefeitura. O restante virá da União, via Ministério dos Esportes.

Há recursos II
Para Pau dos Ferros, que não tem um clube profissional em atividade a pelo menos cinco anos, é de se aplaudir de pé. Ao mesmo tempo, para Mossoró, que tem dois clubes ativos anualmente, uma lição.

Há recursos III
Está claro que o problema não é falta de dinheiro, mas de vontade política. O Ministério dos Esportes tem dinheiro sobrando. Mas aqui, a cantiga é a mesma. Vivemos a política do quanto pior, melhor. Então, só se fala em permuta. A quem, de fato, isso interessa?

Agora vai?
Depois de um longo e tenebroso inverno (fala-se de seis anos) sem servir para uso dos esportes coletivos, o Ginásio Pedro Ciarlini está com um novo piso. Pode, enfim, sediar jogos. Vou lá conferir e volto ao assunto.

Dever
Hoje o Potiguar enfrenta no Nogueirão, com a obrigação da vitória, o Serra Talhada. Fazendo o dever de casa, poderá até contra o Uniclinic, no próximo domingo, fechar antecipadamente sua classificação.

Foco
Que o Serra Talhada tem limitações que se acentuaram com as dispensas e suspensão, é fato. Mas não é um adversário entregue. A obrigação de fazer a lógica acontecer é toda do Potiguar. É uma decisão.

A semana na história
Nesta data, em 1987, nascia o piloto alemão Sebastian Vetel, tetracampeão mundial de Fórmula 1.

Frase
“O Potiguar fez parceira agora com o H1N1 ?” – Rosano Azevedo, radialista, se referindo a parceira do Alvirrubro com o HNU, clube local de handebol. Nada a ver com a temerosa gripe Influenza.

Imagem

Potiguar de 1963, no campo da Benjamin Constant: Gambeu, Nivaldo, Mecinho, Altevir, Nonato e Datonho; Buchudinho, Nopa, China, René e Lupércio. Dos arquivos de Lupércio Luis.

Potiguar de 1963, no campo da Benjamin Constant: Gambeu, Nivaldo, Mecinho, Altevir, Nonato e Datonho; Buchudinho, Nopa, China, René e Lupércio. Dos arquivos de Lupércio Luis.

 

 

 

Tradicional no futebol, Potiguar entra também no handebol

O Potiguar resolveu expandir sua atuação, agregando sua marca também ao handebol.

Agora, o Alvirrubro fechou parceria com o Handebol Nova União/Mater Christi/UFERSA, clube que se fortalece a cada dia nesse esporte. A parceria representará Mossoró na Liga Nacional de Handebol Masculina. A competição será disputada, em sua primeira etapa, nos dias 26, 27 e 28 de agosto, próximo.

Nessa competição, o time mossoroense, que está no Grupo D, enfrentará na primeira fase as equipes do AMH/Morada Nova, Irauçuba e Maracanã, todos cearenses. O Potiguar não informou se a parceria se restringe apenas a essa competição ou terá maior validade.

É importante o que faz o clube ao entrar em um esporte olímpico que cresce e se fortalece no município, podendo agregar muito à marca alvirrubra.

Não é a primeira vez que o Potiguar investe em outros esportes. Já há alguns anos, o Alvirrubro mantém parceria com uma equipe feminina de futsal, colecionando, inclusive, algumas conquistas. Antes, possuía representação no ciclismo e pedestrianismo mas, infelizmente, não deu prosseguimento.

Tem bolo para a turma
A semana marca o aniversário de bons profissionais e pessoas do bem, das quais gosto de graça. Ontem (25), Zezinho Mossoró completou 37 anos. Na terça-feira (28), o volante Max, faz 31, e na sexta-feira (1), o companheiro de redação do De Fato e Portal F9, Edinaldo Moreno, 36. Admiração e respeito a ambos.

O preço
O São Paulo desfez o empréstimo junto ao J. Malucelli-PR, do atacante Getterson. Há alguns anos, o atleta postou no twitter declarações de amor ao rival, Corínthians, e alfinetou o Tricolor, taxando-o de bambi.

O preço II
Jogador de futebol tem que entender que é figura pública e tudo que diz, repercute e pode respingar em si ou na instituição. Tem que ser responsável dentro e fora de campo e assumir os riscos das bobagens que escreve. A conta chegou para Getterson, que perdeu a chance da vida dele.

Perdeu
Leio que na Arena Castelão, em Fortaleza, a administração vai retirar filas de cadeiras de alguns setores para acomodar as torcidas organizadas, para evitar mais prejuízos com a rotina do quebra-quebra.

Perdeu II
Com a justiça apenas assistindo ou agindo de forma paliativa, as administrações dos estádios têm que adequar espaço para acomodar bandidos. A que ponto chegamos. Estamos perdendo a guerra para o mal com a leniência dos poderes.

Fazer o dever
A tabela da Série D é favorável ao Potiguar. Tem uma sequência de três jogos decisivos, dois dos quais em casa, podendo definir sua classificação antecipada, senão em primeiro, pelo menos como um dos melhores segundos colocados.

Fazer o dever II
Pega hoje, fora, e no próximo domingo (3), em casa, o limitado Serra Talhada. Depois enfrenta o Uniclinic, também em Mossoró. Se fizer seu dever, vai a Itabaiana classificado. Mas tudo dependerá do resultado de hoje.

Frase
“Se a gente fizer um gol logo no começo, vamos procurar “reverter” – Palmito, jogador do Centenário, clube alagoano, em 1996. É só fazer dois gols contra e resolve a parada. O problema é o adversário enciumar e querer “reverter” também.

A semana na história
Hoje, o lateral-direito Állefe, do Potiguar, completa 18 anos. Apesar de jovem, o atleta paraibano ganhou espaço no Alvirrubro e já defendeu profissionalmente, por empréstimo, Coríntians de Caicó e Globo. Tem bom potencial. Parabéns!

Imagem

Esse o time de futsal, juvenil, do Colégio Diocesano, que representará a instituição nos Jogos Interdiocesanos, que será disputado em julho próximo, aqui em Mossoró. Sucesso a essa nova geração.

Esse o time de futsal, juvenil, do Colégio Diocesano, que representará a instituição nos Jogos Interdiocesanos, que será disputado em julho próximo, aqui em Mossoró. Sucesso a essa nova geração.

 

 

Estão fazendo do futebol algo cada vez mais chato

Agora, aqueles que se concentram em tentar tornar o futebol cada vez mais frio e chato, até acaba-lo de vez, dão mais um passo. Empancaram nos chamados sinalizadores, que algumas torcidas usam nos estádios. Os árbitros até interrompem as partidas até que cessem tal show pirotécnico que em nada atrapalha o jogo nem leva risco a ninguém.

Em que talvez se baseiem os abutres do futebol para tal proibição, está nos sinalizadores navais, não equivocadamente naqueles vendidos em banquinhas juninas que só emitem luzes, quando muito, um pouco de fumaça e nada mais.

Já não basta vermos extintos os bandeirões erguidos através dos gigantescos mastros de bambu, ou das charangas, por conta das baquetas ou dos próprios bumbos, lá se vão agora os sinalizadores. Depois serão as camisas e, muito provavelmente, em um futuro não muito distante, o grito de gol.

Um dia, vamos acabar vendo as partidas de dentro de uma sala de cinema, em poltronas, ar-condicionado e, vez por outra, um lanterninha pra zoar com nossa cara. É só o que falta.

Estadual Sub-19 no F9
O Portal F9 definiu cobertura dos jogos do Potiguar no Campeonato Estadual Sub-19. Através dele, o internauta poderá ver os melhores momentos e gols dos jogos do alvirrubro da competição. Acesse agora www.f9.net.br e veja os lances do jogo de estreia, disputado ontem, em Ceará Mirim, contra o Globo.

Arena
Na sexta-feira (17), o jogador Márcio Mossoró inaugurou a Arena MM8, campo de futebol society localizado no bairro Alameda dos Cajueiros.

Arena II
O empreendimento, muito bem planejado, surge como excelente opção para os praticantes do esporte na cidade. Como bom filho, Márcio segue investindo e acreditando em sua terra.

A volta
Na última sexta-feira (17), reencontrei na 105 FM, o ex-presidente do Potiguar, Jorge do Rosário. Antes da entrevista que abordou apenas temas políticos, uma conversa informal sobre futebol.

A volta II
Sem pedir segredos, Jorge, que continua colaborando com o clube, afirmou que ainda não encerrou sua história como dirigente e que pretende retornar um dia à presidência do Potiguar.

A volta III
Quase uma unanimidade entre os torcedores, o ex-presidente não marcou data, mas só o fato de admitir retorno mostra que sua paixão e convicções são maiores que eventuais dissabores vividos. Ótimo.

Tá convidado
Amanhã tem Uniclinic x Potiguar, à partir das 20 horas, no Presidente Vargas, em Fortaleza-CE. A narração é nossa, comentários de Isaías Rodrigues e reportagens de Paulo Nunes. Sinta-se à beira do gramado, ouvindo a 93 FM.

A semana na história
Na sexta-feira (24), o atacante João Batista, ex-Baraúnas e Potiguar completa 31 anos de idade.

Frase
“Estou muito feliz. É meu segundo título em três conquistas” – Mickey, massagista do Potiguar, após a final de 2013, contra o América. Pela ordem da contagem, deve ter perdido algum título no caminho.

Imagem

Na foto, a família Mossoró: Pedrinho, Márcio, Seu Geraldo (pai), Marquinhos, Vinícius (filho de Marquinhos) e Zezinho. Foto: Fábio Oliveira.

Na foto, a família Mossoró: Pedrinho, Márcio, Seu Geraldo (pai), Marquinhos, Vinícius (filho de Marquinhos) e Zezinho. Foto: Fábio Oliveira.

O abandono do barco vem com o adeus à confiança

Apesar de afirmar não se sentir decepcionado com o atacante João Manoel, pelo pedido de dispensa do atleta ao Potiguar, o técnico Emanoel Sacramento foi enfático quando disse, indagado por mim, se voltaria a indicar o jogador para futura contratação: “Não”.

Foi durante entrevista na Resenha Esportiva da 93 FM, na sexta-feira (10). Mesmo reconhecendo que é um direito do jogador querer jogar, sabe Sacramento que isso deve ocorrer por mérito e circunstâncias, e não apenas por desejo e imposição.

João mostrou imaturidade e desrespeito a todo o grupo e, especialmente, a Tiago Souza, seu companheiro escolhido para iniciar o jogo deste domingo.

A decepção de Sacramento é notória e justificada. Ele endossou a contratação de João Manoel, com quem trabalhou no Gonçalense. E as circunstâncias do pedido de desligamento, às portas da estreia na Série D, sem dar chances de o clube de se recompor, foi inconsequente, pois prejudica todo um trabalho, inclusive de quem o indicou.

João Manoel é gente boa, mas mostrou egoísmo e perdeu a confiança dos que apostaram em seu potencial. Que reconheça a mancada, que tenha sorte e, principalmente, juízo em suas próximas decisões.

Ingressos
Quem não aproveitou para comprar o ingresso para Potiguar x Itabaiana até ontem, com desconto, poderá adquiri-lo logo mais, a partir das 14 horas, nas bilheterias do Nogueirão: Arquibancada R$ 50,00 e cadeiras R$ 80,00. Estudantes têm 50% de desconto.

Elogiados
Desde que chegou ao Potiguar, o técnico Emanoel Sacramento não tem poupado elogios aos jogadores que compõem ou já fizeram parte da base do clube. Valoriza esse trabalho e dá oportunidade aos que apresentem potencial, como se espera de um bom treinador.

Elogiados II
Nessa política, e depois de destacar atletas como Marinho, Ciel, Ju, Felipe Elói, Fernandes, Gilsinho e Állef, mais dois jogadores, ainda desconhecidos da torcida, vem despertando interesse de Sacramento.

Elogiados III
O zagueiro Felipe Souza, de apenas 16 anos, e o atacante Rafinha, vêm sendo bastante elogiados por Sacramento, que não teme lançá-los, se preciso, e no tempo certo. É daqueles que não desprezam o potencial dos garotos, patrimônios do clube.

O início
Hoje, com um trabalho elogiável nas categorias sub-17 e sub-19, falta ao Potiguar, agora, reativar as categorias sub-13 e sub-15. São elas que alimentam as divisões maiores com valores potenciais.

O início II
Mas não adianta só juntar garotos, vesti-los com o uniforme e gritar à beira do gramado. A missão da descoberta e lapidação cabe somente a profissionais, senão acaba sendo gasto e não investimento.

Perda
Na quarta-feira (1), faleceu o ex-jogador do Potiguar, Zé Maria Leão, aos 74 anos. Foi mais uma vítima das complicações provocadas pela Chikungunya. Marcou época no campo da Benjamim Constant, na década de 60.

A semana na história
Na próxima quinta-feira (16), o ex-volante do Potiguar e Baraúnas, Diego Lima, campeão potiguar pelo Alvirrubro em 2013, completa 31 anos de idade.

Frase
“O Potiguar vai jogar no 3-5-1 ?” – Jaedson Freitas, da 93 FM, indagando o técnico Emanoel Sacramento, que ficou sem jeito para avisar que o time entraria completo, com todos os 11 jogadores.

Imagem

Time do Móveis Lindomar, anos 80, no Campeonato da Caixa D´água, no São Manoel: Leno (presidente), Suvela, Cigarro, Jorge, Ferrugem, Neném e Mário; Deusueres, Luizinho, Dorimar (falecido), Eloi e Lourimar. Dos arquivos de Jaílson Rodrigues.

Time do Móveis Lindomar, anos 80, no Campeonato da Caixa D´água, no São Manoel: Leno (presidente), Suvela, Cigarro, Jorge, Ferrugem, Neném e Mário; Deusueres, Luizinho, Dorimar (falecido), Eloi e Lourimar. Dos arquivos de Jaílson Rodrigues.

 

 

Time ganha jogo, elenco ganha campeonato. Esse é o dilema do Potiguar

Todo prognóstico é prematuro nesse momento em relação ao Potiguar para a Série D, mas já é possível iniciar uma análise.

Vejo o atual time mossoroense mais qualificado que aquele que disputou o Campeonato Potiguar, no primeiro semestre. Em compensação, Uniclinic e Itabaiana, adversários na disputa nacional, também são bem melhores que os enfrentados pelo Potiguar no Estadual.

O Alvirrubro também tem, em Emanoel Sacramento, um técnico mais preparado que seu antecessor, inclusive nas indicações. Mas, ainda faltam peças para compor e fortalecer o elenco. Há jogadores no mercado de todos os tipos e gostos. Tem para “bater de vara”.  No entanto, a questão das contratações esbarra, invariavelmente, nas limitações financeiras do clube. Além disso, e não necessariamente por isso, o ritmo da resposta da diretoria em atender os pleitos do treinador, tem sido muito lento.

Ter time e não ter elenco mina o trabalho e compromete os resultados. Espero que os ventos mudem.  O dia 12 é logo ali e na Série D o tiro é curto. Não se pode errar.

Fim do mundo
A moral que alguns clubes dão a torcidas organizadas é um absurdo. Admitir manifestações em treinos e ainda chamar para reuniões, ultrapassa os limites do ridículo. Inversão de valores. Subserviência injustiçada a uma ala que só contribui para afastar os verdadeiros torcedores, aqueles que pagam por tudo, inclusive pelo que não devem. Até quando?

Zelo pela marca
Conforme o jornal O Estado de São Paulo, o acordo de patrocínio da Caixa com o Corínthians prevê rescisão contratual se os jogadores tirarem a camisa em “situações de vitória, conquista de títulos e comemoração de gols”.

Zelo pela marca II
Nas três primeiras vezes da infração, há multa em forma de cestas básicas (50, 100 e 200). Na quarta, rescisão. Perda de mando de campo também rende multa. A Caixa paga R$ 30 milhões anuais ao Timão. Tem ou não razão de cobrar?

O que falta mais?
Depois da Igreja Maradoniana, na Argentina, agora tem o Partido Nacional Corinthiano (PNC), no Brasil, aprovado pelo TRE de São Paulo, faltando apenas o TSE dar seu aval. Em nota, o clube disse que o partido não terá seu apoio.

Perguntas
Por falar no Estadual, Santa Cruz e Coríntians, desistentes deste ano, podem participar da segunda divisão agora em 2016 ? E a 1ª divisão de 2017 permanece com oito ou volta a ter 10 integrantes? Com a palavra, a FNF.

Imbróglio
O advogado do atacante Sabão, jogador que tem acerto verbal com o Potiguar, espera dar posicionamento até quarta-feira (1), se o atleta poderá vir ou não defender o Alvirrubro na Série D.

Imbróglio II
Sabão está pleiteando na Justiça do Trabalho do Rio, a rescisão indireta de seu vínculo contratual com o Gonçalense, devido a salários atrasados. Só então, com o aval da justiça, poderá assinar com outro clube.

A semana na história
Na quarta-feira (1), o zagueiro Nildo, ex-Baraúnas, chega aos 40 anos de idade. Na mesma data, o meia Jean Carioca, vice-campeão estadual em 2008 pelo Potiguar, completa 28. Parabéns a ambos!

Frase
“É não. Eu trabalho no time profissional mesmo” – João, Mordomo do Potiguar, respondendo ao frentista de um posto de combustível, quando indagado se era Master. O frentista se referia à bandeira do cartão de crédito a ser utilizado para o pagamento. João imaginou o time máster do clube.

Imagem

Eis a seleção da LDM, na inauguração do estádio Nogueirão, em 4 de junho de 1967: Itamar, Walmir, Jonas, Altevi, Geraldo, Tino, Ananias, Diniz e Valney. Arandi, Miranda, Tonho, Carestia, Mota, Rocha, Nonato e Edil.

Eis a seleção da LDM, na inauguração do estádio Nogueirão, em 4 de junho de 1967: Itamar, Walmir, Jonas, Altevi, Geraldo, Tino, Ananias, Diniz e Valney. Arandi, Miranda, Tonho, Carestia, Mota, Rocha, Nonato e Edil.

 

A escolha dos melhores passa primeiro pela seleção de quem opina

Na quinta-feira passada (19), o Potiguar comemorou três anos do título estadual de 2013, conquistado diante do América, no Barretão.

Revendo a lista da seleção daquele campeonato, na eleição da FNF, fico cada vez mais convicto de que nunca se chegará a um consenso sobre a escolha dos melhores do ano. Normal. Até tenho uma tese simples que explica a origem do impasse.

É natural que os colegas da capital, que acompanham com maior frequência os jogos dos clubes de Natal, enxerguem qualidades nos atletas de ABC e América na mesma proporção em que enxergamos os nossos, aqui do interior. Como os jornalistas da capital são maioria na banca que elege a seleção, não poderia haver outra tendência. E assim, a polêmica se renova a cada ano.

O ABC, terceiro colocado em 2013, emplacou quatro jogadores na seleção. Já o Potiguar, campeão, só teve dois e o técnico Celso Teixeira. Genílson, Anselmo, Daniel, Magno e Vaninho, que arrebentaram, por exemplo, ficaram de fora.

Agora em 2016, o ABC campeão, teve novamente quatro. O Potiguar, terceiro, nenhum. Tudo é muito relativo e, portanto, potencialmente controverso, já que é questão de opinião.

Última forma
Após ter acertado com o Potiguar, o zagueiro Ramon mudou sua proposta financeira e o clube desistiu de trazê-lo. Alemão, de 22 anos, que era cogitado antes de Ramon, e Rodrigão, de 26, que trabalharam juntos com o técnico Emanoel Sacramento, no Gonçalense, passam ser opção. O atacante Sabão continua na mira.

Recordando
Seleção de 2013: Santos (Potiguar), Leandro Cardoso (ABC), Edson Rocha (América), Norberto (América) e Alexandre (ABC); Bileu (ABC), Fabinho (América), Daniel (América) e Cascata (América); Rodrigo Silva (ABC) e Kattê (Potiguar).

Vacilo
O Baraúnas deu mais uma bola fora ao botar seu time de aspirante para treinar, encher os atletas de esperanças (torcedores também) e depois puxar o tapete, desistindo do Estadual Sub-19.

Vacilo II
O clube não era obrigado a participar, mas para que, então, fez peneirão, trouxe jovens de outras cidades, concentrou e ainda bradou na mídia sobre um projeto fantasioso de base, que não parece ter qualquer planejamento?

Vacilo III
Não é pelo fato de não poder participar, pois entendo suas limitações financeiras, mas por saber disso desde o princípio e ainda fazer “pantin”, arrotando uma condição que não possuía. Já dizia minha avó: “Se não pode com o pote, não pegue na rodilha”. Vale para muitos aspectos da vida, inclusive o futebol.

Sangue bom
O jovem zagueiro Victor volta ao Potiguar, clube que o revelou. Tendo surgido em 2008, ele passou pelas mãos de Miluir Macedo e Júnior Xavier, antes de trocar o Potiguar pelo Baraúnas, onde estava desde 2011.

Centrados
Victor, 23, é jogador mais de força. Marinho, 20, tem mais técnica. Ambos, formados na base do clube, tem em comum o foco na profissão. A chegada ao profissional não virou suas cabeças nem seus bonés.

A semana na história
Na terça-feira, dia 24, Pablo Oliveira, jogador do Globo, eleito melhor segundo volante e revelação do Campeonato Potiguar de 2016, completa 21 anos. Bom jogador com futuro promissor.

Frase
“Eudes é presidente “uterino” do Baraúnas” – “Doutor” Chico, massagista, quando trabalhava no Baraúnas, sobre a condição do presidente em 2011. Nunca foi tão preciso, afinal, em princípio, todos foram gerados no útero, inclusive aqueles que viriam a ser presidentes, interinos ou não.

Imagem

O Prefeito Francisco José Júnior recebeu na sexta-feira (20), o presidente do Potiguar, Benjamim Machado, quando confirmou parceria do Município com o clube para a Série D. Fala-se em R$ 30 mil mensais. Pontos por não desemparar o representante mossoroense na disputa nacional. Foto: Raul Pereira.

O Prefeito Francisco José Júnior recebeu na sexta-feira (20), o presidente do Potiguar, Benjamim Machado, quando confirmou parceria do Município com o clube para a Série D. Fala-se em R$ 30 mil mensais. Pontos por não desemparar o representante mossoroense na disputa nacional. Foto: Raul Pereira.

 

Os desafios do Potiguar na Série D

Me parece um bom desafio, o que o Potiguar pegou na Série D.

Dos clubes que irão compor o Grupo A8, dois são vice-campeões estaduais que estavam em atividade até a semana passada, no caso Itabaiana-SE e Uniclinic-CE. Os vi jogar e não dá para negar o forte potencial de cada um deles.

O time sergipano, inclusive, tem no comando o ex-técnico do ABC, Leandro Campos, campeão brasileiro com o clube em 2010. Até hoje várias viúvas choram por ele na capital. Não é um técnico barato, daí se nota o tamanho do investimento do Tricolor Serrano, como é chamado. Entre os jogadores conhecidos, por lá estão os zagueiros Alexandre, ex-Alecrim, Baraúnas e Potiguar, e Thiago Garça, ex-ABC, além do meia Ribinha, que teve uma passagem rápida pelo Baraúnas, e o atacante Paulinho Macaíba.

No Uniclinic, experiência e bom entrosamento, no time comandado pelo ex-jogador Maurílio. Entre os destaques, o goleiro Marcello Galvão, ex-Santa Cruz-RN e Alecrim, além dos bons meias Enercino e Leanderson, e o atacante Val Paraíba, ex-Santa Cruz-RN e Assu.

O Serra Talhada-PE é a única incógnita, nem por isso menos perigoso. Disputa o pernambucano da primeira divisão e em seu estádio, o Nildo Pereira de Menezes, dificilmente é batido. Vai vendo.

Baixas irreparáveis
O ano de 2016 está sendo marcado por fortes perdas no futebol local. O torcedor do Baraúnas ainda lamenta as mortes de Zoívo Barbosa, em março, e agora Expedito Bolão, duas figuras diretamente responsáveis pelo nascimento do clube. Estão eternizados na história do Leão do Oeste.

Pegou mal
Não repercutiu bem entre os colegas, uma das críticas feitas, via Facebook e repercutidas pelo Portal F9, do ex-técnico do Potiguar, Bira Lopes, à escolha da seleção do Estadual, feita pela imprensa para a FNF.

Pegou mal II
O ponto negativo não foi o fato de discordar da escolha dos jogadores, o que é normal, mas por criticar a escolha do colega Fernando Tonet, como melhor técnico. Soou deselegante e suspeito.

Melhor
Concordo com a escolha de Tonet, até mesmo diante do campeão Geninho. Ele tinha um elenco bem mais limitado que o do ABC e com condições financeiras infinitamente inferiores. É pra tirar o chapéu.

O que faltou
Na seleção da FNF faltaram, a meu ver, Érico, Cláudio Baiano e Jozicley, disparados os melhores na posição. Pra mim, tão certos quanto o artilheiro Nando. Mas respeito a escolha feita pelos colegas.

FNF foi política
Sobre o melhor dirigente, concordo com os que afirmam que a escolha de Benjamim foi uma posição política, para tentar consolar o interior. Ah, embora geograficamente seja interior, Ceará Mirim está incorporada futebolisticamente à região metropolitana da capital. Nesse caso, pra mim não conta.

Contra fatos
Vejo Judas Tadeu como o melhor dirigente. Começou errado, mas teve atitude e sensibilidade para mudar o rumo para chegar ao título, o que faltou a Benjamim, que insistiu no erro até o fim. Tadeu tirou o clube da fila e levantou o troféu no estádio que ajudou a construir. Un finale perfetto.

A semana na história
Quarta-feira (18), o ex-jogador de Potiguar e Baraúnas, Márcio Cardoso, completa 40 anos. Foi campeão estadual em 2004 com o Alvirrubro. Bom de bola e de caráter, só colecionou amigos. Gente do bem. Parabéns!

Frase
“É muito bom ser campeão em primeiro lugar” – Massal, massagista do Potiguar, desabafando após o título de 2013. Deve ser muita emoção, pois muitas vezes o campeão é o do segundo em diante. Até o lanterna.

Imagem

Time juvenil do Baraúnas, campeão invicto de 1961: Alber, Itamar, Ronald de Góes, Zé Maria de Mundoca, Pelé (treinador), Zé Nilson (Pintinha), Nivaldo Dantas, Francinildo, Waldir (auxiliar Técnico), Zairo Mariano e Expedito Bolão (Diretor de Futebol). Agachados: Wilson, Laerte, Aldeirton Pilão, Toinho, Manoel e Chico Leite.

Time juvenil do Baraúnas, campeão invicto de 1961: Alber, Itamar, Ronald de Góes, Zé Maria de Mundoca, Pelé (treinador), Zé Nilson (Pintinha), Nivaldo Dantas, Francinildo, Waldir (auxiliar Técnico), Zairo Mariano e Expedito Bolão (Diretor de Futebol). Agachados: Wilson, Laerte, Aldeirton Pilão, Toinho, Manoel e Chico Leite.

Sobre o F9

A partir de Mossoró, segunda maior cidade do Rio Grande do Norte, escrevemos sobre esportes, com ênfase para o futebol, nossa maior paixão. Notícias, vídeos, tabelas, opinião e tudo o mais que nos move pela estrada da informação esportiva. Somos uma equipe apaixonada pelo tema e compromissada com a verdade.