Especial: Paixão por vocação

 

Cornélio, nos tempos de criança, frequentando as arquibancadas do Nogueirão com seu inseparável radinho de pilha.

Cornélio, nos tempos de criança, frequentando as arquibancadas do Nogueirão com seu inseparável radinho de pilha.

É possível conciliar uma vida sacerdotal com o amor por um clube de futebol? Para Francisco Cornélio Freire Rodrigues, sim! De origem humilde, Cornélio foi criado na comunidade de Melancias, município de Apodi-RN. Sua vocação espiritual já era visível desde muito jovem. Sempre engajado com a Igreja, Cornelio tinha um sonho que também era compartilhado por sua mãe: Se tornar padre.

No entanto, apesar de dedicar boa parte de seu tempo às atividades da igreja, Cornélio também cultivava outra paixão, o futebol. Em entrevista ao F9 Esportes, ele contou que passou a acompanhar o futebol ao lado dos irmãos mais velhos através do rádio, em 1990, aos sete anos de idade. Segundo ele, a Copa do Mundo daquele ano foi um fator a mais, que contribuiu para sua paixão por esse esporte.

– Eu sempre gostei de rádio, e era por meio dele que eu acompanhava os jogos. Em 1990 era ano de Copa, ou seja, era uma época em que o futebol estava muito em evidência. Foi a partir desse momento que passei a gostar do futebol. É um pedaço de mim– afirmou.

Em nível nacional, o Corinthians sempre foi o clube do coração de Cornélio, mas aqui no Rio Grande do Norte é o Potiguar de Mossoró quem faz seu coração bater mais forte.

Indagado sobre de onde teria surgido esse carinho pelo Time Macho, Cornélio foi enfático:

– Não há explicação, como na verdade nunca há. Aconteceu – frisou.

Em meio ao amor pelo futebol, Cornélio continuava trilhando a sua vocação e no ano de 2008 acabou indo morar em Roma-ITA, onde permaneceria durante cinco anos, cursando um bacharelado em Teologia.

Eis que ao desembarcar na Itália outro clube entraria para a sua vida, a Roma. Durante a sua estada na capital italiana, Cornélio passou a criar um laço de amor e paixão com o clube romano.

– Sempre que conversava com meu irmão que é torcedor do Internacional-RS, eu ouvia falar de Falcão, “O rei de Roma”. Então, quando vim para Roma, escolhi esse time. Outro fator foram as cores do time – ressaltou.

Além de acompanhar sempre que possível às partidas da Roma, no estádio Olímpico, Cornélio não se desprendia do Corinthians e do Potiguar.

– Por conta da diferença de fuso horário entre a Itália e o Brasil (5 horas a mais) eu dormia mais cedo, para acordar a tempo de assistir os jogos – declarou.

Cornélio também contou uma situação bem curiosa em sua trajetória.

– Já cheguei a usar a camisa da Roma sob a batina – brincou.

Prosseguindo com a sua vida acadêmica religiosa, Cornélio concluiu o curso de Teologia em 2011 e atualmente cursa um mestrado em teoria bíblica, que terá sua conclusão em fevereiro de 2014. Nessa preparação para a vida sacerdotal, ele ainda foi ordenado Diácono, no ano de 2012, antes de ser ordenado Padre, pela Diocese de Mossoró, em cerimônia realizada na comunidade de Melancias-RN, no dia 4 de agosto deste ano. 

Artur Rebouças/Equipe F9

ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!