Liga tem falhado com a Justiça no caso “Borracha”

A Liga Desportiva Mossoroense (LDM) tem descumprido determinação judicial sobre o repasse de 7% (dos 10% a que tem direito) da renda dos jogos no estádio municipal, para pagamento de dívida trabalhista ao ex (e atual) tratador do gramado do Nogueirão, Valderi Franco, o Borracha.

O percentual vem sendo descontado do borderô, mas não tem sido depositado, como determinado pela Justiça. A informação foi passada pelo presidente de direito (mas não de fato) da Liga, Francisco Brás, revelando toda sua preocupação, vez que é seu nome que consta legalmente como responsável pela entidade, ex-proprietária do estádio.

Antes, os valores bloqueados pela Justiça em decorrência de causas trabalhistas eram cobrados na fonte, sendo recolhidos por oficiais em dia de jogos. Agora, esses valores devem ser depositados no primeiro dia útil após às partidas.

Confesso que não sei o motivo da mudança nem por que não são feitos os depósitos, como afirma Brás, mas o fato é que determinação judicial se cumpre, e até se recorre nas instâncias e prazos previstos. Fora isso, a conta pode ser maior para quem esquece ou se faz de desentendido sobre as decisões.

Atenção redobrada
O Baraúnas tem tudo para começar bem sua caminhada no segundo turno, porém estar concentrado hoje, contra o Alecrim. Pega um time vivendo uma crise financeira e de resultados. Até greve já fez. Pode ser fator aliado ou mesmo complicador, pois joga toda responsabilidade para o time mossoroense. Este é o cenário que mais preocupa um treinador: manter o foco do time ante um adversário anunciado, equivocadamente, como morto.

Adversários
Um dos adversários do Potiguar na Série D, o Maranhão, tem praticamente apenas jogadores desconhecidos do torcedor local. A exceção é o meia mossoroense Adham, ex-Assu e Baraúnas.

Adversários II
No River, o lateral-direito Rossales é o único com passagem por Mossoró. Ano passado esteve defendendo o próprio Potiguar na Série D. Bom jogador que, pelo futebol apresentado, poderia ter retornado.

Adversários III
É do Uniclinic o jogador mais conhecido do torcedor príncipe. O meia Vaninho, de 32 anos, reencontrará o Potiguar na Série D. Antes, já havia enfrentado o Alvirrubro vestindo a camisa do rival, Baraúnas.

Bagé
O técnico Ronaldo Bagé reconhece a necessidade de reforços no Baraúnas, mas não parece ser do tipo que fica apenas reclamando, tirando carta de seguro para eventual insucesso. Prefere trabalhar ainda mais.

Bagé II
Apesar dessa necessidade clara para algumas posições, Bagé dispensa a vinda de jogadores apenas para fazer número, o que só pioraria. Por isso, prefere trabalhar o potencial dos jogadores que encontrou no clube, cuja qualidade tem sido bastante elogiada por ele.

Bagé III
Outro fato interessante do novo técnico do Baraúnas é que ele não indica contratação apenas para empregar amigos. Recentemente, rejeitou um atleta de sua confiança porque este não estava em plenas condições físicas. Outros técnicos o fariam (e já fizeram) sem o menor pudor.

A semana na história
Nesta segunda-feira (13), o ex-zagueiro de Potiguar e Baraúnas, Michel, completa 36 anos de idade. Parabéns!

Frase
“A gente não ganhou porque Raimundo Sacristão errou nas alterações” – Mário Júnior, folclórico torcedor do Potiguar, se queixando das mudanças feitas pelo técnico Emanoel Sacramento, no jogo contra o Uniclinic, na Série D de 2016.

Imagem

Onde parar o verde do gramado do Nogueirão ? Mesmo com tanta chuva, o tom amarelado do gramado deixa o aspecto de um campo esquecido. Foto: Fábio Oliveira

 

ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

12 + 2 =