Mossoró Sport Clube

Time que marcou o retorno do Mossoró Esporte Clube, em 1996

Para esta edição registraremos um pouco da presença do Mossoró Sport Clube, atuando no Stadium Mossoró Limitada nos primeiros anos de existência do futebol na terra de Santa Luzia.

A fundação do referido deu-se em virtude da dissolução do Santa Cruz, fato registrado no dia 15 de março de 1922, e que teve a sua primeira diretoria formada pelos seguintes desportistas: presidente: João Minho de Oliveira; vice-presidente: Francisco Ludgero; secretário: Antônio Martins Soares; 2º secretário: Raimundo Nonato da Silva; tesoureiro: Raimundo Miranda; adjunto-tesoureiro: Miguel Cruz; diretor de Esportes: Manoel Amorim; procurador: Luiz Duarte Ferreira.

A primeira formação do Mossoró foi esta: Rolleaux; Zé Dantas e Zé Canuto, Antônio Ayres e João Dantas; Seu Chico, Hemetério, Cossado, Xixita e Misturado.

A equipe era conhecida como “clan” dos Canutos, cujo patrono sempre foi o destacado desportista Miguel Canuto de Souza, proprietário de uma oficina de marcenaria, músico que remanescia dos dias das suas maiores bandas da cidade (charanga e fênix). Seus filhos, num total de onze, todos do sexo masculino, descaram-se como atletas de futebol, a saber: Seu Chico, Seuné, Hemetério, Migas, Raimundo, Genipo, Mário, Pedro, João, José e Geraldo. Hemetério Canuto foi o primeiro mossoroense a integrar o selecionado de futebol do nosso estado, que tinha o apelido de “os fantasmas do Norte”, conseguindo memoráveis vitórias diante de clubes da Paraíba, Ceará e Pernambuco.

Em 1923, o Mossoró sagrou-se campeão da cidade. No ano seguinte veio o bicampeonato, tendo convidado para a colocação das faixas nos atletas o América de nossa capital, cujo placar apontou o empate em dois tentos. O nosso representante atuou com o futebol de Rolleaux; Zé Dantas e Zé Canuto; Cangoteira, João Dantas e Chico Marques; Cossado, Migas, Hemetério, Xixita e Barnabé.

Na condição de beneméritos do Mossoró, podemos citar, além do desportista Miguel Canuto de Souza e toda a sua família, Manoel Eufrásio de Oliveira, Eufrasino do Nascimento, João Mendonça Filho, Manoel Rodrigues das Chagas, Joaquim Ayres e Francisco Ludgero da Costa.

Após permanecer em recesso no nosso futebol, o Mossoró retornou no ano de 1996, já sob a nomenclatura de Mossoró Esporte Clube, sendo também conhecido como “O Dragão do Oeste”, para participar do campeonato estadual daquela temporada. Nessa fase, seu presidente era o professor Gilberto Ferreira. A seguir permaneceu participando tão somente das competições com categorias de base, patrocinadas pela Liga Desportiva Mossoroense (L.D.M). Também se aventurou no futsal, em 2014, quando disputou o campeonato estadual da categoria.

O Mossoró mudou de direção e mascote. Atualmente, o MEC, como também é chamado, é presidido pelo empresário João Dehon da Rocha, que por muitos anos dirigiu o rival Baraúnas. Agora, o clube tem como mascote o Carcará, ave de rapina que simboliza resistência.

No próximo domingo abordaremos a respeito do Potiguar, clube de garra e tradição no nosso futebol.

ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 + 18 =