O Potiguar precisa resolver com o Alecrim antes de pensar no Globo

O Potiguar tem hoje, no Nogueirão, o Alecrim como mais um adversário em sua sequência decisiva visando uma possível final de turno. Depois disso (e só depois disso) é que vem o Globo, o time a ser batido e já finalista do campeonato.

Friso isso para lembrar que todo time é armado de acordo com seu próximo adversário e não projetando adversários futuros. A observação se baseia na formação anunciada pelo técnico Emanoel Sacramento, em que acena para a escalação de três zagueiros e três volantes, o que me parece um exagero em se tratando do Alecrim, time que luta contra o rebaixamento. Senão veja: Lucas, Cláudio Baiano, Joseph, Batata, Sidney e Jozicley, todos juntos e treinando como titulares.

Independente das funções de cada um, hoje, os seis continuarão com características defensivas e com orientações restritivas. O time perde em criatividade e ofensividade, o que pode fazer o frágil Alecrim gostar do jogo, como gostaram Assú e Baraúnas, quando sentiram que a proposta do Potiguar não era tão voraz, quanto imaginavam.

Sacar Du Paraíba, que vinha bem entre os titulares, e Luan que, apesar da lentidão, é habilidoso e tem sido responsável pela criação, fica muito claro um zelo excessivo com um adversário que não é nenhuma Brastemp.

O Alecrim da atualidade não merece tanto e o torcedor muito menos.

Empate não vale
Não tendo vencido ainda como mandante em 2017, o Baraúnas se apega ao fato de ser um visitante indigesto para superar, hoje, o Assu, adversário com quem costuma travar boas batalhas, mesmo no Edgarzão. Se quiser algo no turno, o tricolor precisa vencer já, pois só empatar não é bom, embora o último, por ter sido no clássico, tenha rendido até festa na casa do atleta. Apesar de suas limitações, o Leão pode ser mais.

Parou
O meia Tiago Barreiros, um dos destaques do Potiguar na Série D de 2016, utilizou das redes sociais neste sábado (25) para anunciar sua aposentadoria no futebol, no auge dos seus seus 27 anos de idade, 15 dos quais nos gramados.

Parou II
“Apesar de ter resistido muito e pensado até cansar antes de tomar essa decisão, sinto que fiz a escolha certa… Preciso de uma estabilidade que infelizmente o futebol não me ofereceu”, justificou Barreiros em sua postagem.

Boca no trombone
“Sem patrocínios e com o atraso do prometido apoio da PMM, a situação do nosso futebol vai de mal a pior”, desabafou o vice-presidente do Baraúnas, o radialista Gílson Cardoso, em sua conta no Facebook.

Boca no trombone II
A reclamação também encontra ressonância no Potiguar. Embora os dirigentes não tenham se pronunciado publicamente ainda, a insatisfação na diretoria é grande com o silencio da Prefeitura até aqui.

Só dois
O jovem goleiro Yuri, reserva imediato de Rafael Dida, no Potiguar, não joga mais nesse estadual. O jogador rompeu ligamentos do joelho esquerdo e está fora de combate. O jovem Matheus, da base, fica como única opção.

Devendo
A torcida do Potiguar está devendo uma resposta ao clube por conta das contratações realizadas e resultados neste turno. O torcedor não tem mostrado nos jogos uma frequência à altura de sua tradicional paixão.

A semana na história
Quinta-feira (30), o ex-zagueiro do Potiguar, Índio Sertânia, completa 34 anos de idade. Parabéns!

Frase
“Em terra de cego quem tem um olho é gay” – Chico Massagista, quando mordomo do Potiguar, em uma tentativa filosófica frustrada para impressionar os colegas.

Imagem

Time Manoel Do Munck, que disputa o Campeonato do Carnaubal 2017: Guedo (técnico), Cabeça, Roger, Altenor, Maikon, Marinho, Júlio César, Isaac, Diego, Romero, Romário, Chinês, Bega, Tom, Mailson, Raniálisson e Zé do Pau.

ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

18 + 6 =