Presidenciável, Gaúcho revela que já tentou assumir o Baraúnas

Adair Rodrigues, o Gaúcho, é candidato à presidência do Baraúnas (Foto: Jociéliton Costa)

Ainda vivendo o rescaldo do rebaixamento histórico no estadual, o Baraúnas tenta junta os cacos e se reerguer para voltar à elite do futebol potiguar no mais breve espaço de tempo.

Enquanto a atual gestão tenta saldar as dívidas com o elenco, relativa a salários, segue a movimentação nos bastidores para formação de uma nova diretoria.

Com a declaração da presidente Josirene Ribeiro de que ela e sua diretoria não permanecerão à frente do clube, nomes surgem no cenário como eventuais candidatos para comandar os passos da instituição. Entre os cotados, está o empresário do ramo de gastronomia, Adair Rodrigues, o Gaúcho.

Em entrevista à TCM, Gaúcho confirmou que pretende ser o próximo presidente do Baraúnas, atendendo convite da própria Josirene, que o procurou logo após o rebaixamento do clube à segunda divisão.

Tendo topado o desafio, Gaúcho espera agora celeridade no processo sucessório. Ele pretende organizar o trabalho na base, da qual se declara adepto, inciando um processoo que norteará suas ações visando a formação do time para a segunda divisão, competição a qual ele garante que o clube disputará, caso venho ser eleito o próximo presidente.

“Eu falei que se possível, queria assumir o Baraúnas já nesta quinta-feira (5). Para disputar a segunda divisão, não posso deixar para a última hora. Vai ser uma competição difícil, então temos que planejar. Fazer as coisas em cima da hora pode provocar outra decepção, como foi essa do rebaixamento”, alertou o empresário, que garantiu ter o apoio de alguns empresários locais para tocar o projeto, mas que ainda aguarda uma decisão de Josirene à respeito da sucessão.

Em sua entrevista, Gaúcho revelou ainda que seu projeto de assumir o Baraúnas vem desde o ano passado, quando se prontificou a conduzir os destinos do clube na atual temporada. No entanto, embora na época tenha conseguido o apoio de Josirene Ribeiro, o processo não andou porque a presidente não se dispôs a antecipar as eleições, mantendo-as para o início deste ano, com o campeonato já em andamento.

“Eu queria assumir no fim do ano passado, mas ela disse que me passava a presidência só na eleição em 14 de janeiro deste ano,  o que inviabilizou meu projeto”, revelou

“Como iria assumir o clube com o campeonato andando? Não tinha como fazer qualquer planejamento. Agora dessa vez, se não demorarem a passar o comando, terei tempo de preparar o clube para a segunda divisão. O retorno à elite é o primeiro e principal objetivo nosso neste momento”, finalizou.

Fábio Oliveira/F9.net.br

 

 

ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × dois =