Sem rumo: clima acirrado provoca adiamento de eleição e Baraúnas está sem presidente

O Nogueirão seria palco para a eleição do Baraúnas, que acabou adiada devido a confusão entre os tricolores. (Foto: Ellen Freitas)

O clima que se anunciava nos últimos dias para a eleição do Baraúnas, marcada para a noite desta segunda-feira (30), no Nogueirão, se concretizou.

Marcado por bate boca entre o ex-presidente Eudes Fernandes e o Diretor de Patrimônio do clube, Antônio Marcos, o pleito acabou interrompido antes mesmo de iniciada a votação.

Eudes contestava a informação de que estaria inelegível, enquanto Marcos defendia a posição, baseado no estatuto do clube que impede o registro de candidatura de presidentes que não tenham apresentado prestação de contas quando ao final de suas gestões. Outro fator alegado, seria o fato de Eudes não constar no quadro de sócios adimplentes do clube. Com o impasse, por pouco os dois não foram às vias de fato.

Sem ter tomado o devido cuidado de providenciar segurança para garantir a realização da votação, que o desfecho já era um fato anunciado, a comissão eleitoral, presidida pelo advogado José Carlos de Brito, decidiu por adiar a eleição por 30 dias, devendo um novo processo de convocação ser realizado, atrasando a reestruturação do clube, que se encontra endividado e rebaixado à segunda divisão potiguar.

Enquanto isso, o único candidato oficial admitido até aqui, Adair Rodrigues, o Gaúcho, lamentava o episódio, sem entrar no mérito das discussões nem demonstrar irritação ou temer algum tipo de concorrência. “É lamentável. Nossa chapa já estava pronta e nossos projetos traçados. Queríamos já iniciar amanhã nosso trabalho, visando a segunda divisão. Vai se perder mais tempo e o Baraúnas será o maior prejudicado. Mas vamos aguardar o que vai acontecer. Se aparecer mais algum candidato, vai ser bom porque engrandecerá o Baraúnas”, amenizou.

Ao contrário de Gaúcho, a agora ex-presidente Josirense Ribeiro não disfarçou sua decepção e irritação com os episódios registrados. “Vejo com muita tristeza. Foi um trabalho que vinha sendo feito nesses 15 dias para ver se tudo corria bem. Aí, infelizmente, quando a gente chega aqui, encontra um circo”, desabafou, em entrevista ao repórter Pádua Júnior, da Rádio Difusora.

Indagada se havia gente nos bastidores do Baraúnas querendo atrapalhar o clube, Josirene não demonstrou dúvidas: “Tem, tem! Quando a gente acha que é uma pessoa que quer o bem, na verdade não gosta. Como você diz que gosta de um time e fica fazendo falcatrua por trás?”, disparou a ex-dirigente.

Com a não realização da eleição, o Baraúnas agora está oficialmente sem presidência, vez que o mandato de Josirene e seus assessores, prorrogado para coincidir com a eleição de uma nova diretoria, acabou exatamente no domingo (29). A partir de agora, o sentido figurado dá lugar ao sentido exato da palavra e o Baraúnas está à deriva.

Fábio Oliveira/F9.net.br

ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!
ANUNCIE AQUI!

1 Comentário

  1. Reply Post By VICENTE DA COSTA NETO

    Futebol de Mossoró está SEM CURA. LICENCIAMENTO DE AMBOS JÁ, por tempo indeterminado, até que surjam novos investimentos. Injusto participar sem competir e tambem não quitar os vencimentos das comissões técnicas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × 1 =