Baraúnas inicia planejamento para volta aos gramados e convida Paulo Moroni

O técnico Paulo Moroni pode estar de volta ao Baraúnas.


Responsável pela formação e condução da equipe que conquistou o título estadual de 2006, único na história do clube, Moroni foi convidado pela diretoria leonina para planejar a reativação do departamento de futebol tricolor, desativa desde 2018, quando da queda da equipe para a segunda divisão estadual. O profissional, inclusive, tem data para desembarcar em Mossoró. Está programado o próximo dia 20 de setembro para sua chegada, quando sentará para negociar com os tricolores.


Em princípio, é intenção do presidente do Baraúnas, Damásio Medeiros, entregar a Paulo Moroni a coordenação do trabalho com as bases, reativando todas as categorias dentro do clube, pavimentando a partir daí o retorno do time profissional aos gramados, o que deve ocorrer no segundo semestre de 2020, com sua participação na segunda divisão. O cartola não descarta que o próprio Paulo Moroni também seja o condutor do projeto com o time profissional na divisão de acesso.


Caso acerte seu retorno ao Baraúnas, o trabalho de Moroni deve começar pela própria reforma (já iniciada) da Toca do Leão, local de treino e concentração do elenco leonino. O profissional deve indicar quais as melhorias necessárias naquele espaço, preparando o principal ambiente de trabalho do departamento de futebol para uso pleno a partir de 2020.

 

NOVA FASE


O ex-zagueiro do Vasco da Gama-RJ, o gaúcho Paulo Ricardo Moroni, de 58 anos, iniciou sua carreira de treinador no Rio Grande do Norte, quando treinou o São Gonçalo, em 1999. Em solo potiguar, treinou ainda ABC, América, Baraúnas (campeão em 2006), Potiguar de Mossoró e Santa Cruz de Inharé. Atuou ainda em clubes da Paraíba, Piauí e Rio Grande do Sul.


Seu último clube como treinador foi o Picos-PI, em 2017. A partir daí, mudou um pouco o foco. Nesse mesmo ano, foi auxiliar técnico da equipe sub-20 do Sampaio Corrêa-MA. Em 2018, assumiu a coordenação técnica do clube maranhense. Em 2019, também como coordenador técnico, trabalhou no Campinense.

 

Fábio Oliveira/F9.net.br